Há onze anos atrás, a CBS cometeu a atrocidade de colocar no ar o primeiro episódio de The Big Bang Theory, uma série que eu achei desnecessária no primeiro episódio, ruim no segundo e, dando uma uma última chance ao terceiro, percebi que poderia gastar melhor meu tempo fazendo algo mais produtivo como ver grama crescer.

Surpreendentemente, uma série de comédia que não é engraçada e reforçou na cabeça de muita gente que aqueles personagens realmente representavam quem gosta de ciência, histórias em quadrinhos e afins, conseguiu uma audiência absurda, sendo uma das mais vistas pelo canal americano. Entra aqui um estudo sobre o gosto do povo na hora de ver séries, mas hey, gostem do que vocês gostam. Eu só vou olhar do lado e julgar bastante.

Agora, graças a um surto de bom senso do ator que interpreta o personagem mais famoso (e irritante) da série, The Big Bang Theory chegará ao seu fim na próxima e décima segunda temporada (DOZE TEMPORADAS DESSA DESGRAÇA!).

De acordo com a revista Entertainment Weekly, a CBS foi até os atores da série para oferecer uma quantia obscena de dinheiro para que eles fizessem mais duas (PUTA QUE PARIU, MAIS DUAS!) temporadas de The Big Bang Theory. Todo mundo tava animado, mas eis que Jim Parsons, o Sheldon, basicamente negou US$ 50 milhões porque “está pronto para seguir em frente com a sua carreira”. Sério, o maluco negar CINQUENTA milhões de dólares mostra que ele também já tá de saco cheio do negócio. Quase me faz gostar mais dele.

A décima segunda temporada de The Big Bang Theory faz com que ela seja a sitcom multicâmera mais longeva da história, porque o mundo não é justo. A parte ruim são os empregos que vão pro saco com o fim da série, já que boa parte da equipe não tem culpa que o seriado é um lixo. Sério, vamos passar raiva.

 

Em outras notícias, Young Sheldon, spinoff de TBBT volta tranquilo para a sua segunda temporada no final do ano. Tá tudo errado no mundo.

PS: Esse título foi fortemente inspirado no feito pelo The Playlist, me lembrando que o negócio é tocar o foda-se mesmo.

Sem mais artigos