HBO Max: testamos o novo serviço de streaming

Quando a Disney anunciou o Disney+, o seu novo serviço de streaming, a ideia de puxar todo o seu conteúdo de plataformas como Netflix e Amazon Prime Video fez com que outros estúdios pensassem que tinham total capacidade de fazer o mesmo. A AT&T, dona da Warner e HBO e mais uma cacetada de propriedades, fez exatamente isso e lançou o HBO Max nos EUA, talvez com menos fanfarra que o rival. Será que mesmo assim, o HBO Max consegue ser melhor e vale a assinatura ou é só mais uma empresa gigante se atravessando em busca de lucro? Nós testamos o serviço (na base do chuncho) e contamos um pouco pra você.

Assinatura do HBO Max

Como você já deve ter imaginado, no momento da publicação desse review, em junho de 2020, HBO Max estava disponível apenas nos EUA. Então como fazer essa a assinatura do HBO Max? Então, tem que ser pela base do chuncho porque o serviço é bloqueado para outras regiões.

Seja através de VPNs e cartão de crédito dos EUA, nós conseguimos acessar o serviço. Vale a pena fazer isso? Depende. Essa coisa de usar VPN entra numa “área cinza” em que você pode estar contra os termos de uso de serviço e eles podem muito bem bloquear o teu acesso e você não poderá fazer nada sobre isso.

Considerando que o HBO Max deve chegar no Brasil apenas em 2021 (de acordo com o site LABS, a América Latina será a primeira na onda de expansão do serviço após esse lançamento nos EUA), vai da tua vontade LOUCA de querer o conteúdo dele ou simplesmente sossegar o rabo e assinar o HBO Go por aqui e ser feliz (com aquela interface que vive dando pau e não tá disponível em várias plataformas).

Dito isso, como é a usabilidade do HBO Max?

Interface do HBO Max

Considerando que o serviço não tem um mês e consegue ser melhor de mexer que o Prime Video, eu diria que tá no lucro. Nos primeiros dias, alguns títulos apareceram com legendas em espanhol, na base daquele closed caption horroroso que fica enorme na tela, mas logo somente a opção em inglês ficou disponível.

Tanto no PC, quanto em smartphones e consoles (testamos no Chrome, Firefox, Opera, Android, PS4 e Xbox One), o negócio funcionou bem, na medida que a VPN permitia. O desempenho foi melhor no PC, mas eu imagino que após o lançamento oficial do HBO Max por aqui, tudo funcione direitinho como deveria.

Tá, mas e o conteúdo?

É aqui que o negócio fica louco. O HBO Max basicamente é um HBO Go bombado. Ele traz todo o conteúdo do serviço da HBO, mas com um caminhão de coisas a mais da Warner e agregados. Isso significa que ele traz também títulos diretos da Warner, DC, Cartoon Network, alguns animes do Crunchyroll (que faz parte da AT&T) e filmes da Criterion Collection. Esses filmes da Criterion talvez foram as coisas mais interessantes que eu encontrei ali.

Isso porque são vários clássicos disponíveis com fácil acesso, enquanto todo o resto é facilmente encontrado em outros serviços, como Netflix e afins. O HBO Max ainda tem alguns conteúdos exclusivos, como documentários, desenhos do Pernalonga e uma série com a Anna Kendrick chamada Love Life. Essa série, que mostra a vida de uma moça, com cada um dos seus relacionamentos retratados por episódio, me chamou atenção por conta de ANNA KENDRICK, mas é bem feitinha e, inclusive, já teve a sua segunda temporada confirmada.

No geral, se você é um assinante do HBO Go por aqui, não vale TANTO a pena assim assinar o valor em dólar do HBO Max por conta de um ou outro filme e série disponível ali. Fora VPN… Quando o serviço de fato chegar ao Brasil, acredito que o plano seja substituir o atual HBO Go por ele, assim como foi feito nos EUA (lá, o HBO Now que acabou indo pro saco), mas a questão fica mesmo no valor.

Atualmente, o HBO Go é gratuito para assinantes da HBO em pacotes de TV paga ou através de uma assinatura feita pelo Android e iOS, custando R$ 35,90 por mês. Se o Max chegar aqui pelo mesmo valor, vale a pena continuar assinando ou apostar no serviço, que tem muito mais coisa interessante que o Disney+ tinha no lançamento, mas se resolverem meter a faca aqui, vai ficar complicado.

No geral

HBO Max é um serviço melhor que o Disney+, mas ainda tá atrás do Netflix e Amazon Prime Video. Ele tem um potencial pra crescer até maior que o concorrente da Disney exatamente por não se fechar somente naquela coisa de “conteúdo para família”, apesar de o outro ter Star Wars, Marvel e o escambau. Assinar tudo pode ser o jeito, mas aí também tem que ver a questão do valor de todas essas assinaturas e se o conteúdo delas vai valer por mais de um mês.

A impressão que eu fiquei do HBO Max é que ele vale mais pelas coisas da HBO mesmo e talvez por um outro filme que será disponibilizado, deixando-o mais próximo do que são Netflix e Prime Video, que você assina pra entrar e assistir algo aleatório, algo que o serviço da Disney ainda não conseguiu mostrar pelo conteúdo oferecido nos EUA e Europa.

As coisas podem ficar ainda mais interessantes em 2021, quando o mundo voltar a girar e mais coisas forem incluídas nesses serviços. Por enquanto, dá pra falar que o HBO Max é bom, mas ainda tem espaço pra melhorar bastante.

Leia Mais
FINALMENTE! Nintendo anuncia Pokémon para o Switch