A Morte do Demônio: A Ascensão (Review)

A ideia de um novo filme da franquia A Morte do Demônio é interessante, ainda mais depois da tentativa de reboot realizada em 2013, que considero totalmente injustiçada porque é legal pra cacete. Com A Morte do Demônio: A Ascensão, a série ganha um novo reboot, sai do seu cenário de cabana no meio do nada e consegue ser violenta e às vezes assustadora, mas acaba sendo bastante genérica e perde um pouco o que fez a franquia ser especial.

A Morte do Demônio: A Ascensão é focada em duas irmãs e nos filhos de uma delas. Elas se dão bem, mas claramente têm algumas diferenças baseadas nos seus estilos de vida. Depois de um terremoto (elas estão em Los Angeles), o prédio em que uma delas mora e está pra ser demolido tem uma área revelada. Antigamente, ele era um banco e dentro do seu cofre está o Livro dos Mortos, descoberto pelas crianças. Inclusive, um livro diferente daquele que o Ash ou Mia encontraram nos seus filmes

A Morte do Demônio livro

Obviamente um deles acaba abrindo o negócio, libertando demônios e o caos toma conta. Você precisa saber exatamente isso para assistir A Ascensão e talvez isso seja uma vantagem e uma desvantagem do filme.

Ao longo de seus 90 minutos (o que é maravilhoso porque tô cansado de filme que tem duas horas só porque sim), tem muita violência, momentos em que você dá uma retorcida na cadeira e se você gosta desse tipo de coisa, ótimo! Só que a impressão que eu fiquei é que não precisava ser A Morte do Demônio. Poderia ser qualquer filme genérico de possessão demoníaca e daria na mesma e eu acho que é aí que está o maior problema do filme.

Em momento algum, tirando a existência de um Livro dos Mortos, o filme tem o charme dos anteriores. Não chega perto do espírito que mistura gore, sangueira e humor da trilogia original. O reboot de 2013 ainda carrega MUITO do que fez a série famosa, ainda que fosse bem mais sério, algo que provavelmente afastou alguns dos fãs. Já esse novo tem quase nada do que faz A Morte do Demônio legal.

Um baita exemplo disso é o fato de os personagens serem bastante esquecíveis. A mais marcante e principal se chama Beth, e eu ainda tinha esquecido completamente o nome dela.

O desenvolvimento dos personagens é bem pobre e você pega uma ou outra característica deles e logo o caos toma conta e eles se tornam figuras que estão ali pra se ferrar de algum jeito violento. Isso pode ser reflexo da duração do filme, que agora me fazendo cair em contradição, poderia ficar melhor com uns 20 minutos a mais para desenvolver melhor essa galera.

Mesmo assim, A Morte do Demônio: A Ascensão é um filme bem ok. Durante sua hora e meia, ele consegue prender a sua atenção, ainda que muito mais pela curiosidade para saber o que mais caótico pode acontecer, mas deixa um gostinho de “podia ser bem melhor que isso aí”. Ou pelo menos podia parecer bem mais com um A Morte do Demônio. Só isso já me deixaria feliz.