Querido senhor Kirkman,

Primeiramente, posso chamá-lo de Robert? Senhor Kirkman me parece algo muito formal e, pelas entrevistas que vi, você não parece ser do tipo que exige esse tipo de comportamento. Deixando isso de lado, acredito que temos que conversar sobre algo. Calma, calma, não precisa ficar nervoso, me considere um amigo que só quer o seu bem. Robert, eu acho que você precisa parar e acabar sua história. Robert, por favor, encerre The Walking Dead.

kirkmanNão me leve a mal: durante um bom tempo, The Walking Dead foi minha HQ favorita e, a cada edição, eu ficava ansioso por saber o que acontecia. Eu sinceramente não esperava que você fosse matar tantas crianças, tampouco imaginava o quanto o Governador ia se mostrar tão doentio. Diabos, até aquela pequena série com os canibais foi interessante.

No entanto, de uns tempos para cá eu sinto que você perdeu a inspiração. Eu sei, eu sei, não é fácil conseguir manter fresca uma história durante mais de 100 edições, especialmente quando é preciso lidar com questões de licenciamento para outras mídias, convenções com fãs e com os roteiros de Invincible (vamos falar sobre isso em outra ocasião, porque também tenho algo a dizer).

Acredito que o ponto em que as coisas “pularam o tubarão” foi na centésima edição. A gente sabia que você queria fazer algo chocante, algo que fosse ficar na memória, que serviria para “comemorar” essa marca surpreendente. No entanto, a sensação que ficou foi de gratuidade, de que aquela morte foi simplesmente você marcando um item em uma lista de “tarefas a fazer”. Não chocou, não entristeceu. Simplesmente pareceu vazio.

walkingdeadcompendiumTalvez esse seja seu plano: fazer com que os leitores se sintam tão indiferentes a personagens um dia importantes quanto eles se sentem em relação aos zumbis que povoam seu universo. É isso, é tudo parte de um plano para que nos sintamos mais próximos aos quadrinhos — provocar indiferença para que a gente saiba pelo que Rick e seu grupo passam.

Ou quem saiba eu só esteja me iludindo. Provavelmente você só chegou ao ponto em que, esgotadas as ideias originais, é mais fácil investir na execução gratuita de pessoas “do bem”, mesmo que os leitores nunca tenham tido tempo de se importar com elas. Não sei dizer ao certo, até porque não posso ler sua mente. Mas Robert, tá ficando chato.

Então, como amigo, lhe peço: dê a The Walking Dead um fim. Não se sinta pressionado pelos compromissos financeiros e tente se esquecer que você é uma das bases que sustenta a Image — mande esses caras para o inferno. Faça um favor a você, como escritor e a nós, como leitores: deixe Rick chegar ao final de sua jornada e descansar. Toda boa história perde o impacto quando estendida durante muito tempo, e acho que você sabe tanto quanto eu que essa hora está chegando.

Sinceramente, Felipe.

P.S: Ainda não acredito que você incluiu um tigre no meio de tudo isso. Desnecessário cara, mesmo.

Felipe Gugelmin

Aqui para falar que Bird is the word.

>| Twitter

Sem mais artigos