WWE RAW: The New Era has taken over!

Eu sinceramente deveria ter feito um resumão sobre o Battleground, o PPV “perdido no tempo e espaço” entre o fim e o começo de eras da WWE. Se você tiver tempo, assista. Foi o melhor PPV “como um todo” no ano, com direito a possível Luta do Ano (Sami Zayn vs Kevin Owens. Sami Zayn já tá com três candidatas esse ano, puta merda!).

Enfim, com a separação do rostern entre Raw e Smackdown e a promessa de que haveriam mudanças, criou-se uma sensação de “agora vai?” no coração de muita gente que gosta da WWE. Eu confesso que muitas vezes odeio esse negócio porque só apresentam cretinices, mas, na semana seguinte, estou assistindo essa desgraça e pagando a WWE Network todos os meses.

Aí que depois do Battleground, que foi surpreendentemente bom, eu fiquei esperançoso. Talvez duas das três horas do “novo” Raw seriam melhores. Rapaz, como eu não esperava pelo que estava por vir…

Novo cenário e nova música

O negócio já começou bem quando foi apresentada a nova abertura do Monday Night Raw. Aparentemente, tonight is no longer the night, já que uma música do Shinedown entrou no lugar e deu uma sensação de novidade pro programa.

Além disso, um novo cenário foi criado pro programa, com a mesa dos comentaristas lá pra trás, como era antigamente. Sim, nem sempre os comentaristas ficavam do lado do ringue, o que significa que talvez não tenhamos mais table spots. A MESA DOS MEXICANOS ESTÁ A SALVO!

Outra coisa que mudou, e pra MUITO MELHOR, foi o nível dos comentários do programa. Sim, o Byron Saxton e o Michael Cole ainda estão lá, mas a entrada do Corey Graves parece que revitalizou a coisa toda. O Cole foi BEM nesse Raw. Bem no nível “Deixaram o cara trabalhar?”. Tanto que só na segunda vez que eu vi o Raw que eu percebi que o programa não teve tanto replay ou papinho desnecessário. Tudo foi redondinho. O que tá acontecendo?

I’M THE CHAMPION OF THE UNIVERSE

Pra começar o Raw, como sempre, porque nem tudo é novidade, Stephanie McMahon e Mick Foley apresentam todo o roster, dão uma comida de rabo no Roman Reigns por ter levado o pin no Battleground, que resultou no cinturão principal ficando nas mãos de Dean Ambrose e no Smackdown.

Porque claro que fariam isso, um novo cinturão será apresentado e ficará no Raw. Em vez de ser o Heavyweight Belt, a WWE criou o cinturão com o nome mais inicialmente cretino até agora: WWE Universal Championship.
Digo inicialmente, porque quando você para pra pensar que a pessoa vai poder falar “I’m the Champion of the WWE Universe”, até que fica legal. De leve, mas fica.

Para decidir quem ficará com ele, a Stephanie coloca o Seth Rollins no Summerslam contra o vencedor do main event do Raw. O main event do Raw terá os dois vencedores de dois combates Fatal 4 Way que acontecerão no programa.

Em um combate, temos Sami Zayn vs Sheamus vs Chris Jericho vs Roman Reigns (já falo sobre isso). No outro, temos Kevin Owens vs Cesaro vs Rusev vs FINN BÁLOR! Essa segunda luta é quase um main event de um NXT Takeover em uma realidade paralela.

Sobre o Reigns, uma parada que muita gente na internet se irrita é o fato de o programa começar com um esculacho pra cima dele e, como punição, ele recebe a oportunidade de virar um novo campeão. Essa porra não faz sentido.

Querem punir? Façam ele perder pro Bo Dallas, sei lá. Vacilação.

No embalo, depois de ter perdido no Battleground, Charlotte deve defender o Women’s Championship no Raw, contra Sasha Banks. Sério, o que tá acontecendo? O HHH tomou conta desse negócio de vez?

NXT is taking over

O Fatal 4 Way entre Kevin Owens, Rusev, Cesaro e Finn Bálor foi bom, deram tempo o suficiente pra todo mundo fazer a sua graça e, talvez eu esteja vendo algo além que não existe, começou a dar uma brecha pra um eventual Kevin Owens vs Rusev. Talvez.

Levando em consideração que a treta do MELHOR GORDO com o Sami Zayn tenha acabado (por enquanto), isso seria interessante. O único problema é que um deles teria que virar face. E cara, o Owens tá tão “in the zone” sendo pentelho e foda que não sei se isso devesse acontecer. Faz ele esculachar e ser ele mesmo e tá tudo bem.
Ahh o Finn Bálor ganhou. Nesse momento, todo mundo pensou “Legal, deram uma vitória pra ele na sua primeira luta no main roster. Mas se for o Reigns no main event, fodeu”. ENTÃO…

Nia Jax, Braun Strowman e a volta das squash match

Nos últimos tempos, a WWE não vinha sabendo criar “monstros”. Ao colocar uma galera que tem um tipo físico mais de “VOU TE DESTRUIR” em lutas longas contra uma galera que é melhor que eles, algumas falhas eram notadas e esses monstros nunca eram levados a sério (Ryback, estou olhando pra você e esperando você ir pra TNA).

Neste Raw, a WWE resolveu isso ao colocar seus dois monstros, Nia Jax, recém vinda do NXT, e Braun Strowman, o único membro da Wyatt Family que ficou no programa, contra “talentos locais”.

Nia Jax luta contra Brit Baker, wrestler local e DENTISTA e, jesus amado, ela vai matar a moça. O público quase não reage, mas a galera que tava nesse Raw foi bem bunda com todo mundo, mas a luta mostrou que ok, Nia Jax tem potencial destruindo no main roster.

Aí temos Braun Strowman. Nós já vimos ele sendo monstro, mas olha o cidadão que colocaram pra ele lutar. O Byron Saxton vai entrevistar o cara e falta falar “Cara, vai pra casa. Não faz isso com a tua vida”.

Que dó, cara.

New Day, por que isso?

Uma coisa interessante no New Day é como eles são realmente legais quando não tentam ser “PG” e ficam numas piadinhas ensaiadas que puta merda. Quando eles estão “soltos” ou mandam uma parada DO NADA é que brilham. Quando rola algo como a comemoração por se tornaram os campeões de Tag Teams com mais tempo no main roster, é tudo muito forçado.

O The Club surge, dá uns porradão, a luta deles no Summerslam tem potencial, mas esse negócio aí não foi legal não.

Neville voltando, Enzo e Big Cass e é isso aí

Neville finalmente voltou depois de ter quebrado a perna numa besteirinha para dar um cacete no Curtis Axel, que agora tá se chamando “Mr Irrelevant”. Porque ele é um bostolão e o pai dele era o Mr Perfect.

Como você já deve ter imaginado, o Neville ganhou com Red Arrow, já treinando pra quando for ganhar o Cruserweight Title no Raw.

Enzo e Big Cass fizeram o showzinho deles, só pra serem interrompidos pelos Shining Stars. Sim. Pois é.

A luta foi rápida, graças a uma interferência cretina do R-Truth e Goldust, que passaram o Raw inteiro caçando Pokémon no Pokémon Go. É imbecil, mas eu respeito o fato de que eles mostraram os dois desde o começo do programa e rolou um payoff pra “piada”. Pelo menos isso.

Gotta make Roman look kinda strong

O Fatal 4 Way entre Roman Reigns, Sheamus, Chris Jericho e Sami Zayn foi tão legal quanto o primeiro, com direito de galera MOENDO o Roman Reigns na porrada, o Jericho sendo um grande heel e Sami Zayn naquele embalo que só ele consegue de fazer todo mundo acreditar (mas aí toma na cabeça de todos os lados e perde por pouco).

O mais interessante aqui, por incrível que pareça é o Roman Reigns. Ele certamente não tá mais na posição de top guy depois de cair na malha fina das dorga da WWE. Dá pra ver que a empresa ainda vê algo nele, mas o cara tá mais “vulnerável”, o que começa a criar uma brecha perfeita pro cara virar algo legal.

Ele perdeu LIMPO no Money in the Bank, ficou um mês suspenso, voltou e, novamente, perdeu LIMPO. Sem malandragens como antes. LIMPO. Aqui, ele levou a vitória, mas ele não é mais o Superman de Samoa.

Quando tudo fica certo no mundo

Sasha Banks vs Charlotte pelo Women’s Championship é algo que deveria ter acontecido no Wrestlemania e em outros trocentos PPVs, mas a WWE parecia que tava com medo de colocar as duas pra lutar. Depois do Battleground, com participação especial da Bayley antes de ir de vez pro main roster, todos esperavam algum bem bolado durante a luta, que então seria resolvida no Summerslam.

Só que não. Com direito a homenagem ao Eddie Guerrero, a Sasha Banks ganhou da Charlotte. Limpo. Sasha Banks, Women’s Champion. Feels good, man.

Agora façam a rematch no Summerslam, em algum momento, façam Fatal 4 Way com as Four Horsewomen e, pra fazer chorar, Sasha vs Bayley no Wrestlemania. VAI WWE, VOCÊ TÁ INDO NO CAMINHO CERTO!

The Demon has arrived

Após a vitória da Sasha, eu pensei “Ok, ela ganhou pra aliviar o baque do Bálor terminar o seu primeiro Raw jobando pro Roman Reigns.”. Era o que fazia mais sentido. Mais um mês de Seth Rollins e Roman Reigns com aquele papinho de sempre. Era lógico que isso aconteceria. Só que eu tava enganado. Todo mundo tava enganado.

Roman Reigns pós-comida de rabo por causa de dorgas se tornou interessante pelo fato de que tudo pode acontecer. Ele não é o mais intocável.

E aí, por um momento, pensei que Finn Bálor vs Roman Reigns, de um jeito besta, é o futuro contra o passado. Sim, o Reigns é novo e ainda tem muitos anos na WWE, mas os dois são os “top guys” do HHH e do Vince. Bálor vs Reigns é, basicamente, HHH vs Vince. E o HHH ganhou.

No seu primeiro Raw, Finn Bálor venceu o main event e lutará contra o Seth Rollins pelo WWE Universal Championship. O foguete que tava nas costas do Reigns mudou de dono. É realmente uma nova era.

No fim do Raw, com tudo isso que aconteceu e que poderá acontecer, a única coisa que passou na minha cabeça, e que eu pergunto de coração é: “O Vince tá bem, gente? Ninguém falou nada. Ele tá vivo?”.

Leia Mais
O Destino de Júpiter (ou como os Wachowski perderam forte a mão)