CM Punk is All Elite!

Em janeiro de 2014, depois de uma participação no Royal Rumble, CM Punk resolveu dar um tempo. Avisou o povo da WWE que não tava bem mental e fisicamente e não apareceu mais. Alguns meses depois, ele foi demitido da empresa. No dia do seu casamento e após ter tratado uma infecção que os médicos da WWE se recusaram tratar (e que poderia ter matado o cara).

Durante 7 anos, CM Punk foi Phil Brooks, um cara que usou sua fama adquirida pra escrever uns gibis pra Marvel, iniciar sua carreira como ator e tentar, numa doideira sem limites, entrar no UFC sem nenhuma experiência (e tomando dois cambau por conta disso).

Só que o povo queria o homem de volta nos ringues. A cada dia que passava, isso se tornava mais improvável, mesmo com a estreia da AEW. Só que nesse tempo, a AEW não só se mostrou como uma empresa mais estável que outras, mas também que se alinhava mais aos valores que o Punk sempre demonstrou. E eis que no dia 20 de agosto de 2021, isso aqui aconteceu:

Talvez o segredo mais mal guardado sobre wrestling nos últimos anos, já que o retorno havia sido publicado pelo site Fightful e a própria AEW tava marcando evento em Chicago e na arena do Chicago Bulls. Todo mundo sabia que o homem ia voltar, mas ninguém tava realmente acreditando. Quando ele foi até o ringue e começou a falar, ainda parecia estranho ver o cara novamente envolvido com wrestling.

E o que ele tinha pra falar foi interessante em vários níveis. Sim, foi um discurso pra vender o seu retorno pra milhares de pessoas já emocionadas de estarem vendo o cara ali novamente, mas duas coisas ali acabaram se destacando.

Dando tempo para se curar

Em dado momento, o Punk disse o seguinte pro público:

Se, em algum momento da minha jornada, alguma das minhas escolhas e decisões relacionadas à minha vida fez vocês se sentirem decepcionados, me deixem dizer que eu entendo. Eu entendo, se vocês tentarem entender que eu nunca conseguiria ficar bem física, mental, espiritual ou emocionalmente se eu continuasse no mesmo lugar que me deixou doente.

Sem dar nome aos bois, ele novamente trouxe à tona o ambiente extremamente tóxico da WWE, algo que parece ter melhorado desde que ele saiu em 2014, mas que ainda está muito longe de ser bom. Durante anos, o Punk foi tratado como alguém que nunca era bom o suficiente (algo que foi feito com vários outros lutadores, como Daniel Bryan), tendo que se tornar indiscutível o seu valor pra empresa.

CM Punk

Só que o Punk ainda tava lá durante um período em que o ambiente de cachorro comendo cachorro reinava (segundo consta por incentivo dos donos). Ao longo do tempo, aquilo foi drenando o cara física e mentalmente num nível que ele deixou de gostar daquilo. Era só mais um trabalho. E trabalhos podem ser deixados pra trás.

Aquilo ali bateu porque todo mundo, em algum momento da vida, já esteve um trabalho que acabou com a tua vontade de fazer qualquer coisa. Na maioria das vezes, a gente fica neles por conta de salário, de contas pra pagar, mas em outras, é quase como se a gente ficasse preso ali pensando que conseguiria fazer as coisas mudarem e melhorarem, porque o lugar tem potencial. Só que chega um ponto em que você se encontra quebrado, uma sombra do que costumava ser e sem entender direito como chegou ali. Então, você só vai embora. O Punk só teve que fazer isso na frente de todo mundo.

I’m back!

CM Punk

E aí vem pra segunda coisa que ele falou. Depois de contar sobre como sentiu forte a saída do Ring of Honor em 2005, ele disse que finalmente entendeu porque chorou tanto naquele dia e tinha se emocionado ao entrar na arena e ver os fãs da AEW pela primeira vez.

13 de agosto de 2005, eu abandonei o Pro Wrestling. 20 de agosto de 2021, eu voltei.

Agora vou falar de mim, porque é isso. Eu sempre gostei de wrestling. Quando era criança, lembro que passava bem tarde e eu assistia de vez em quando. Lembro também de, em algum momento, saírem umas balas com figurinhas da WWF. Quando um amigo alugou uma fita de WCW vs NWO World Tour, a gente jogou tanto que ele negócio que eu comecei a gostar ainda mais disso.

Com o passar dos anos, eu não conseguia mais assistir porque não passava na TV, até ali por 2005, resumos de Raw e Smackdown, assim como WWE Velocity, começarem a ser transmitidos no canal FX. Logo em seguida, Smackdown chegou a passar no SBT e foi só doideira. E foi nesses resumos que eu vi a estreia de um cara que eu não fazia ideia de quem era.

Ele falava que não usava drogas, que não bebia, que era straight edge. Eu nem sabia o que era essa merda, mas achei legal a marra. Era a estreia do CM Punk, e sempre que aparecia algo dele, eu achava legal.

Pule alguns anos e eu voltei a ver mais ou menos na época daquele Wrestlemania que o The Rock foi host. O Punk lutou contra o Randy Orton e era líder da Nexus. Alguns meses se passaram e eu resolvi assistir Raw online no então infalível First Row, só pra ver o que tava rolando.Eu assisti o episódio, parecia que nada mais ia acontecer, até que o Punk atrapalhou o main event, pegou um microfone, sentou na rampa e começou a falar. Foi bonito de ver.

CM Punk Pipebomb

CM Punk me fez voltar a ver wrestling toda semana. Mesmo com a WWE fazendo cagada em cima de cagada, aquelas ideias do cara do que wrestling deveria ser me empolgaram. Eu virei um fã e passei a consumir de tudo sobre esse universo. Eu comecei a escrever sobre wrestling, me juntei com animais pra gravar um podcast sobre o assunto, mesmo depois do Punk já ter saído da WWE. Eu finalmente entendi qual era a graça daquilo tudo.

Ouvir o cara falar que todo aquele período que ele esteve na WWE não conta como pro wrestling (o que faz sentido, porque eles querem tratar tudo como “sports entertainment”) me fez pensar não somente no que isso significa pra ele, mas pra própria AEW e até pra mim. 

Pra AEW, é basicamente o lugar que o Punk queria que a WWE se tornasse quando sentou naquela rampa em 2011. Um lugar que tem lutadores de todos os tipos, tentando coisas diferentes e tentando não ofender a tua inteligência. Um lugar onde os lutadores são tratados como seres humanos pela organização e que são unidos (o Punk comentou como os lutadores e equipe não deixaram vazar a doença do Brodie Lee e como isso mostrou o valor da empresa pra ele). 

Pro Punk, ele tá de volta pro que ele queria. Ele tá mais velho, vai lutar contra uma galera nova e talvez não tenha o mesmo pique, mas o que ele pode fazer pra ajudar essa galera se tornar gigante é incrível. O Punk tá de volta praquilo que sempre amou. É tipo quando acaba um relacionamento, anos depois vocês se reencontram e pareceu que o tempo longe ajudou os dois lados a crescer e agora vai. 

O Punk tá feliz. E se ele tá feliz agora, eu também tô.

CM Punk AEW

PS: E AINDA É CAPAZ DE TER DANIEL BRYAN NA AEW AINDA EM SETEMBRO! MEU DEUS!

Sei contar de 1 até batata.

Start typing and press Enter to search