Top 10 — Jogos antigos que deveriam voltar

Sabe-se lá o motivo, humanos amam listas. Eles poderiam se deliciar com um texto longo e informativo, mas existe algo na simples reunião de tópicos em ordem numérica que faz as pessoas perderem a cabeça e ficarem felizes. Como somos patifes, chegou a hora de criarmos listas semanais, basicamente um Top 10, sobre os mais variados temas. No caso dessa semana, jogos antigos que deveriam voltar.

Sabe aquele game que você jogava lá na época do NES ou do Mega Drive, mas que nunca mais recebeu uma nova versão? Ou aquele título que um irmão ou primo mais velho comentou, você achou na internet e pensou “Imagina esse negócio sendo feito hoje em dia”? Então, esse é o critério para os jogos entrarem nessa lista. É válido comentar que a ordem em que eles são apresentadas é completamente randômica.

Notem também que a lista foi composta praticamente pela minha vontade e opinião, logo, se você achou que faltou alguma coisa, deixe sua opinião em comentários e utilize essa gloriosa ferramenta muitas vezes ignorada nesse site. Obrigado.

1) Stunts

Na longínqua época dos computadores 386, antes dos Need for Speed e Burnouts da vida, existia Stunts. O jogo de corrida trazia alguns carros como Ferraris Alfa Romeos e Lamborghinis competindo em pistas de alta velocidade e que, do mais absoluto nada, traziam rampas para você pular, loopings completos e toda uma infinidade de cabriolagens para você desbravar com o seu carro.

Um dos elementos mais legais era o fato de você poder construir suas pistas, podendo criar uma verdadeira espiral em direção às profundezas do inferno se isso que te deixa ligadão. Outra coisa que surpreendia (pelo menos para a época) era a questão de que todos os carros contavam com visão do painel dos veículos, todos diferentes e personalizados para cada modelo.

Tá certo que hoje em dia temos vários jogos de corrida com isso e títulos como Trackmania, que permitem despirocar forte com um carro, mas falta aquele charme que só Stunts tinha. Dava pra colocar na mão de uma Criterion da vida e ver algo mágico ser feito.

2) Enduro

Sim, mais um jogo de corrida, talvez o primordial deles. Enduro era o jogo que todo mundo que teve um Atari jogou, com aquele carrinho correndo infinitamente em pistas durante o dia, noite, neblina, neve e o escambau.

Enduro

Lançado pela Activision, o jogo poderia retornar GLORIOSO hoje em dia, graças às diferentes tecnologias que recriam o clima virtualmente. Imagine um jogo de corrida em que você precisa correr por um longo período, tendo que ficar adaptando o seu carro para os diferentes terrenos e climas, sempre buscando alcançar o primeiro lugar entre uma porrada de oponentes.

Eu compraria fácil um negócio desses. Activision, use o dinheiro do Call of Duty nisso, por favor.

3) Alex Kidd

Eu sei que a SEGA dificilmente acertaria a mão com um novo jogo do Alex Kidd, que eu não tenho certeza se funcionaria em 3D, mas que poderia gerar um jogo LOUCO em 2D.

Mascote renegado da empresa japonesa, o Alex Kidd era um moleque orelhudo que sentava a porrada nos inimigos, jogava jokempô e tinha um helicóptero movido a pedaladas. Como diabos ele não continuou tendo games e foi jogado para escanteio por causa de um ouriço veloz, é algo que não entra na minha cabeça.

Alex Kidd

Existe potencial aí e, levando em consideração que a imagem do Sonic já está desgastada há anos, talvez esse fosse o momento para um retorno do Alex Kidd. Inclusive, tremenda vacilação não colocarem ele como personagem do Super Smash Bros. ELE JÁ SOCA E CHUTA. TÁ PRONTO!

4) Contra

Há alguns anos, durante sua conferência desastrosa na E3, a Konami terminou a apresentação com um teaser de um novo Contra. O tempo passou e o projeto simplesmente sumiu do mapa.

Talvez um dos jogos mais filhosdaputamente difícil da era 8/16 bits, contra colocava o jogador no controle de um soldado que precisava derrotar inimigos que ocupavam a metade de tela. E se você levasse UM tiro, ia pra vala.

Contra_Hard_Corps_(gameplay)

Já que a galera hoje em dia tá curtindo falar que Dark Souls é difícil e tralala, acho que tá na hora da Konami parar de cagar na cama e fazer um Contra para o público atual. O único problema seria se resolvessem fazer tudo em 3D e transformar em “jogo de murinho”, como Gears of War e mais uma porrada do gênero.

5) Toejam & Earl

Novamente, um jogo de Mega Drive porque eu sinto saudades do meu. Toejam & Earl era um jogo bizarro, bem-humorado e que colocava dois aliens que caíram na Terra em busca de peças para consertar sua nave e ir embora. Utilizando de um sistema cooperativo que prestava muito bem (na época), o jogo acabou por transformar a dupla em mascotes secundários da SEGA, atrás do Sonic (E NA FRENTE DO COITADO DO ALEX KIDD).

ToeJam-and-Earl

Hoje em dia, Toejam & Earl poderiam ser um jogo coop de exploração, colocando os jogadores em cenários absurdos enquanto controlam os personagens. Tem potencial, mas é a SEGA e eu não sei se o resultado final seria tão bom quanto parece na minha cabeça.

6) Road Rash

Muito se fala que a Electronic Arts curte sugar até o último de suas propriedades, faturando milhões e tudo mais, mas é possível comentar que existem diversas franquias que simplesmente estão paradas e alojadas em algum porão hipotético da empresa. Road Rash, um dos jogos mais divertidos da era 16 bits é uma dessas séries “mortas”.

O game de corrida com motos em que você arrebenta sujeitos de outras gangues com correntes, pés de cabra e pedaços de pau, poderia gerar um título de corrida ABSURDO com a tecnologia disponível nos dias de hoje. A Criterion, empresa responsável pela série Burnout e os últimos Need for Speed, quis fazer um novo capítulo da franquia, até mesmo cruzando com Burnout, mas o negócio não saiu do papel.

O fato de desenvolvedores dos primeiros games terem resolvido fazer algo através do Kickstarter e criado Road Redemption, um “sucessor espiritual” (leia como “queremos fazer uma sequência, mas não temos os direitos do negócio”) que deve ser lançado para computadores em breve, mostra que existe público querendo gastar dinheiro nessa ideia.

EA, use sua máquina de dinheiro e faça um jogo de uma vez!

7) California Games

Existem jogos das Olimpíadas. Existem jogos com mini games cretinos em todas as plataformas. Por que diabos ainda não ressuscitaram California Games?

California Games

O título tinha de tudo: bicicleta, patins, skate, jetski, salto de asa delta, body boarding e EMBAIXADINHA COM SAQUINHO DE AREIA! Sério, me deem um jogo desse pro PS3, pro PS4, IMAGINA ESSE NEGÓCIO NUM XBOX ONE COM O KINECT! Dane-se que a Microsoft ignorou o negócio, é pra esse tipo de besteira que ele foi feito!

8) Samurai Shodown/Fatal Fury/Altas piras da SNK

Eu sei que a SNK continua lançando King of Fighters como se sua existência dependesse disso (meio que depende), mas durante a época do Super Nintendo e Mega Drive, a empresa também contava com séries de luta que conseguiam ser realmente divertidas.

samuraishodown01

Franquias como Samurai Shodown, Art of Fighting e Fatal Fury tinham os seus fãs, que agora dependem de novas edições de King of Fighters para jogarem com seus personagens favoritos. Caso a empresa quisesse, poderia lançar novos episódios dessas séries, ampliando o seu portfólio e criando mais possibilidades para os jogadores.

9) Earthworm Jim

Algumas tentativas (frustradas) de trazer a minhoca num traje especial/de astronauta/sei lá o que de volta ao mundo dos games aconteceram desde a época do sempre saudoso Nintendo 64, mas parece que depois daquele remake mais ou menos de Earthworm Jim 2, todo mundo largou mão e resolveu partir pra outra.

Earthworm Jim

Só que o estilo plataforma se beneficiaria com o retorno de Earthworm Jim, principalmente se ele conseguisse apresentar algumas novidades, em vez de ser apenas uma versão bugada do jogo antigo. Se Strider voltou, a minhoca também pode.

10) Altered Beast

Nada mais justo do que terminar essa lista com outro jogo glorioso (e convenhamos, horrível) do Mega Drive. Altered Beast trazia um sujeito que levantava da sua cova pra sentar a porrada em uns zumbis e outros monstros bizarros, se transformando em morcegão, urso e o escambau no processo.

Altered Beast

Altered Beast poderia ressurgir da cova e trazer com ele o renascimento do gênero Beat ‘em Up, que parece ter ficado relegado a um pequeno nicho do mercado. Ele faz muita falta.

Outro motivo para o retorno de Altered Beast se dá ao fato de que ele era um jogo que até o Gugu usava no programa Play Game, no SBT, em que crianças eram colocadas no lugar do personagem principal e ficavam pulando e correndo feito ridículas na frente de uma tela verde.

Se até a emissora do Silvio Santos tinha aprovado, acho que ele merecia voltar aos video games.

Leia Mais
A verdade sobre o enterro de milhares de fitas do Atari já tem data para ser revelada