Streets of Rage 4 e como é bom dar socão no videogame

Durante anos, a ideia de um novo Streets of Rage parecia só um sonho de fãs de uma franquia e gênero que parecia estarem fadados a serem apenas uma lembrança. Eis que em pleno ano de 2020, o ano que o mundo parou, a SEGA, através da LizardCube lança Streets of Rage 4 que não somente honra o nome da série, como também é UM ARREGAÇO DE JOGO!

A Lizardcube fez nome com o remake de Wonder Boy: The Dragon’s Trap, chegando com total crédito para recriar todo o clima de pancadaria franca no meio da rua que Streets of Rage merece. O resultado é um Streets of Rage 4 com jogabilidade incrível, gráficos bonitos, trilha sonora maravilhosa e a certeza que a Sega tem um catálogo maravilhoso que está sendo redescoberto pelo público mais novo.

O mesmo jogo de sempre, mas com aquele gostinho de coisa nova

Se você já jogou qualquer Streets of Rage, com certeza vai começar o novo e saber exatamente o que te espera. Quando joguei pela primeira vez, logo de cara encontrei dois inimigos que estavam lá desde o primeiro game e que eu odeio com toda a força da minha alma: Donovan e aqueles punks cretinos que ficam dando carrinho na gente. Ali eu vi que ok, a LizardCube fez tudo direitinho.

E eu acho que essa foi a sensação ao longo de toda a campanha (é possível fechar o jogo em umas 5 horas). De familiaridade, mas sempre com alguma pitada de novidade. Desde os menus e fontes utilizadas, é tudo bastante similar, mas rolou uma modernização nos gráficos, que deixam de ser pixelados para adotar uma arte levemente caricata (o Axel tá TOIÇO), mas muito legal de se ver.

Streets of Rage 4
Divulgação/LizardCube

A trilha sonora também é de alta qualidade, mas confesso que quando vi a opção para tocar as músicas dos jogos originais, ativei sem pensar duas vezes e joguei com um sorriso no rosto. Essa foi a sensação em todos os momentos do jogo, até mesmo naquele chefe final cretino que te mata com um fio de vida.

A LizardCube poderia muito bem ter feito um beat ‘em up com visual retrô, umas músicas copiadas dos originais e é isso aí. Só que, mesmo tendo tudo o que foi feito antes como base, eles só usaram isso pra criar algo seu, que ainda não parece alienígena se comparado com os já clássicos games.

Streets of Rage 4
Dá pra destravar o visual clássico e mais personagens (Divulgação/Lizardcube)

Acho que o melhor elogio que poderia ser feito para a LizardCube é esse. A impressão que dá é que o jogo parece ter sido feito pela mesma galera que fez os primeiros jogos. Tá tudo do jeito que deveria ser, e mais um pouco. É uma sequência que não tenta reinventar a roda só porque o último jogo tem 26 anos. Ele pega de onde parou, deu um mortal de costas e saiu correndo em direção ao horizonte.

Streets of Rage 4 em resumo

JOGA ESSA PORRA AÍ! Streets of Rage 4 mostra mais uma vez porque a série sempre foi mais legal que Final Fight E SEMRPE SERÁ!

Leia Mais
Benedict Cumberbatch será o Doutor Estranho