WWE 2K15 é o tipo de jogo que tem tudo pra dar certo, mas parece que falta alguma coisa. Ele é o primeiro game da franquia da WWE a ser completamente (ou pelo menos em teoria) feito pela 2K Games, após a THQ ter ido pro vinagre. Todos esperavam por mudanças, gráficos dignos do Xbox One e PS4. No final das contas, é só um pouco de mais do mesmo, mas com uma carinha melhorada.

O poder da nova geração

WWE 2K15 é o primeiro game da WWE a ser lançado para PlayStation 4 e Xbox One. Apesar de o PS3 e Xbox 360 terem ganhado versões (capadas) do game, parece que o foco mesmo foi nas edições dos consoles novos.

Isso é notável com a melhoria gráfica do jogo. Mesmo com alguns lutadores que parecem feitos de massinha (Xavier Woods, estou olhando diretamente pra você), outros estão realmente bem produzidos, em especial Cesaro e Goldust. Em alguns momentos, é possível dizer que você está assistindo um Raw ou PPV da WWE.

O Xbox One e PS4 também ganharam um modo carreira que há muito se pedia. Aqui, você pode criar um novo lutador, passando por sua carreira pelo NXT, subindo para o main roster e se tornando um main eventer.

WWE 2k15 (5)

O maior problema desse modo é o quão “vazio” ele é. Em momento algum você sente que de fato está evoluindo em sua carreira, com grandes acontecimentos e você no controle de tudo.

São apenas lutas com alguns lutadores diferentes, com algumas escolhas feitas (de maneira porca) através de respostas para Tweets de algumas figuras da WWE. Não tem nada realmente interessante no modo para prender a atenção. Tudo poderia ir pro saco, mas aí WWE 2K15 surpreende com duas coisa: melhorias no seu gameplay e o modo Showcase.

Reviva as rivalidades do passado

WWE 2K15 traz no lugar do modo história do Wrestlemania e Attitude Era vistos nos games anteriores, o Showcase Mode. Nele, você pode reviver alguma rivalidade considerada clássica da WWE.

As duas rivalidades escolhidas para o game (com outras já prometidas via DLC) são Shawn Michaels e Triple H no começo dos anos 2000, e CM Punk e John Cena, desde o momento do glorioso Pipebomb do Punk em Vegas, até a sua conclusão, anos depois naquele Raw na luta pelo lugar no main event do Wrestlemania 29.

Como era de se esperar, ambas as histórias são costuradas com vídeos editados pela WWE, já garantindo a alta qualidade e epicidade da coisa toda. As lutas em si são recriações de combates que aconteceram, com alguns objetivos nelas para você destravar arenas e novos personagens.

As duas histórias são bem legais, principalmente entre Punk e Cena, mas elas não deixam de ser um tanto limitadas. Existem diversas rivalidades fantásticas que poderiam ser incluídas no game e, pelo que já foi dito pela 2K Games, talvez não vejamos algumas tretas como The Rock vs Stone Cold Steve Austin no jogo.

Mesmo assim, a ideia do modo Showcase é realmente boa e eu espero muito que ela retorne nos próximos games.

Uma jogabilidade mais lenta, porém melhor

Uma das maiores reclamações de fãs de jogos da WWE é a de que eles são sempre a mesma coisa. Entra ano, sai ano e tudo continua do mesmo jeito. Em WWE 2K15, a Yuke resolveu inventar moda e tornar o game em algo mais próximo de um simulador de luta livre, se é que isso é possível.

Enquanto nos games anteriores o jogador simplesmente VOAVA em cima do oponente, desferindo toda uma sorte de golpes, em 2K15, é necessário criar embalo o suficiente (o chamado “momentum”) para poder a realmente brilhar na luta.

Isso significa que tudo começa relativamente devagar, com os lutadores se estudando em um minigame de grappling que nada mais é do que um jogo de jokempô. Cada golpe desferido, o uso da stamina dos lutadores, tudo deve ser levado em consideração.

WWE 2k15 (7)

Caso você saia feito um louco, a chance de ficar sem fôlego o suficiente para continuar o ataque é enorme. Por essa mudança no gameplay, muitos poderão reclamar que o jogo perdeu muito do seu dinamismo, mas eu prefiro achar que, na verdade, ele tornou o game mais estratégico.

As lutas deixaram de ser apenas uma grande folia e agora você se obriga a estudar melhor os oponentes, como chegar até eles (já que alguns simplesmente não aceitam alguns golpes por causa de seu tamanho). Não é a mudança mais espetacular do universo, mas, com um pouco mais de cuidado nos futuros jogos, pode se tornar algo realmente especial.

Passaram a faca nesse jogo

Mesmo com versões para ambas as gerações atuais de consoles, muitos esperavam que a versão de Xbox One e PS4 tivessem mais novidades, mas, para a surpresa de muitos, todas as versões acabaram capadas quando comparadas com os games anteriores.

Vários tipos de luta ficaram de fora (principalmente as com gimmicks, como Inferno Match), a criação de novos lutadores, apesar de trazer alguns elementos interessantes, está pior que em títulos como WWE 13, não existe a possibilidade de sequer criar divas no jogo, slots limitados e outros problemas que só fazem o jogador esquentar a cabeça.

WWE 2k15 (3)

Alguns rumores antes do lançamento do título apontavam que a 2K Games estava cogitando adiar o lançamento do jogo para torná-lo mais “redondo”, mas vozes mais poderosas (talvez a própria WWE) garantiu o título para a época prevista. Talvez, por causa disso, algumas coisas tiveram que ficar de fora pra não chegarem absurdamente porcas ao consumidor final.

Uma porquice, mas completamente compreensível se foi realmente esse o caso.

Ainda um jogo da WWE

Se você compra jogos da WWE todos os anos, WWE 2K15 vai fazer parte da sua biblioteca de jogos. Sabe quando a galera reclama de FIFA ou PES, que é sempre a mesma coisa, só muda os jogadores? Os jogos da WWE infelizmente são isso. ESSE NEGÓCIO É O MEU FIFA!

Todo ano parece a mesma coisa, com poucas mudanças desde a última versão, mas lá estou eu comprando. 2K15 não é um jogo perfeito e, tirando as melhorias gráficas e algumas escolhas com o gameplay, ele chega a ser inferior ao game anterior por ter várias funções capadas.

WWE 2k15 (1)

Mesmo assim, ainda é possível pirar FORTE no jogo, que além do roster principal, este ano ainda traz alguns nomes do NXT (TEM O SAMI ZAYN, CARA!). Eu fiquei com a impressão que a Yuke, empresa que já fazia os jogos da WWE, só continuou fazendo a mesma coisa e o pessoal da 2K Games não meteu muita a mão nesse título, talvez por falta de tempo e familiaridade com jogos de wrestling.

O que fica mesmo é a esperança de que com WWE 2K16 (provavelmente esse será o nome do jogo), o negócio comece a realmente voar. Aí, meu amigo, o negócio vai ficar louco!

PS: Sim, tem o Sting no jogo. E sim, aquela música-tema dele ainda é FANTÁSTICA!

Leia Mais
Noctis já tem data para chegar em Tekken 7