Review: My Friend Pedro

Durante muito tempo, filmes de ação de Hong Kong entregavam a todo o mundo um estilo de luta e violência altamente estilizado, com seus heróis dando piruetas enquanto atiravam, enfrentando dezenas de inimigos sem tomar um tiro. Era lindo, mas aos poucos isso foi se perdendo, após uma breve assimilação ao cinema de Hollywood.

Pois bem, o que isso tem a ver com My Friend Pedro, novo jogo lançado pela Devolver Digital para PC e Nintendo Switch? Tem muito a ver, já que o game é o mais próximo daquele belíssimo caos, com direito a piruetas, manobras, tiros, violência absurda e uma banana. Sim, uma banana.

Sem memória, mas com a habilidade de matar geral como um profissional

My Friend Pedro começa com seu personagem, um sujeito sem nome e usando uma máscara, acordando em um porão, prestes a ser executado. Do nada, uma banana falante, o tal Pedro do título, surge e faz com que ele reaja, iniciando a sua fuga. Isso é o máximo de história que você precisa (e que o jogo te dá até o seu final) para que você comece a sua jornada de matança.

My Friend Pedro
PC, Nintendo Switch

A grande graça do game está no seu gameplay e ali ele brilha. No começo, é praticamente inevitável que você saia fazendo MISÉRIA como os trailers do jogo mostram, até porque os seus controles, pelo menos neste primeiro momento, são mais impiedosos do que deveriam, mas tudo é uma questão de prática.

No momento em que você sabe o que está fazendo, seja dando piruetas, se agarrando em cordas ou usando um skate, a chance de você protagonizar cenas dignas dos melhores filmes de ação de Hong Kong é imensa. Você percebe isso ao notar que as notas que você consegue ao final de cada estágio começam a aumentar. Por um bom tempo, alcançar o rank B já vai ser uma vitória imensa, mas já no terceiro ato do game, é bem possível que você já esteja ali, beliscando um rank S sem fazer muito esforço.

E isso é uma das sacadas mais legais de My Friend Pedro. Se você quer apenas avançar loucamente e fechar o game, notará que ele não é particularmente difícil de completar as fases. O desafio mesmo está em fazer tudo com estilo, algo que não altera em nada a resolução da trama, mas que é tão divertido que acaba se tornando o verdadeiro foco do seu gameplay.

As fases curtas também ajudam bastante a não deixar o jogo chato, já que é possível seguir para um novo cenário e uma nova disposição de inimigos para destroçar de um jeito bonito, tal qual um balé violento ao som de um pancadão LOUCO, em poucos minutos.

A trilha sonora do jogo é algo que poderia ser melhor, já que é composta por músicas eletrônicas sem vida alguma. Em dado momento, comecei a jogar ouvindo playlist do Spotify e algumas músicas diferentes deixaram toda aquela coisa frenética mais bonita de se ver. Foi esquisito, mas legal.

Em resumo

My Friend Pedro é mais um jogo CHUPETINHA da Devolver Digital. Difícil, porém divertido, com controles que são desgraçados no começo, mas que se tornam realmente intuitivos conforme você vai jogando mais, o título traz uma beleza ao caos que poucos games conseguem trazer.

Se você tiver um Nintendo Switch ou preferir jogar no PC, as únicas plataformas onde ele atualmente está disponível, vale muito a pena garantir uma cópia dele para pirar forte o cabeção, com a ajuda de uma banana amiga. Vai na fé que dá.

My Friend Pedro foi jogado no Nintendo Switch, com código cedido pela Devolver Digital

Leia Mais
Cinquenta Tons Mais Escuros de CREDO ESSE FILME!