Site de Watchmen responde algumas perguntas sobre a série da HBO

Depois de meio mundo falar “Precisamos mesmo de uma série de Watchmen na HBO?”e a outra metade sussurrar “Não”, o canal foi lá, fez e FEZ DIREITINHO. O episódio piloto não só foi bastante interessante como pareceu uma evolução natural da história dos quadrinhos. É tão boa quanto? Aí vai de gosto (não achei, mas tá bem legal), mas o piloto deixou algumas dúvidas. Para resolver isso, a HBO lançou um site que responde algumas dessas dúvidas e cria outras intrigantes.

Depois da estreia de Watchmen, no último domingo, a HBO inaugurou o site Peteypedia, uma referência ao agente do FBI Dale Petey, que ainda não apareceu na série mas que deve ser importante mais pra frente. Isso porque ele está investigando algo que conecta os eventos do presente, assim como figuras do passado, criando a linha que junta a HQ e a série.

No momento, são apenas quatro arquivos em PDF, cheios de pequenas informações que preenchem algumas lacunas. O primeiro, chamado “MEMO: The Computer and You“, mostrao o diretor James Doyan falando sobre a Força Tarefa Anti-Vigilantes. O que esse arquivo mostra é que depois do acontecimento apocalíptico da HQ, chamada ali de DIE, ou Dimensional Incursion of Event, as pessoas ficaram com medo das ideias em torno do Dr Manhattan, que traziam avanços tecnológicos para a humanidade.

Por causa disso, todos começaram a evitar a tecnologia, o que fica bastante claro na série, em que os policiais ainda utilizam pagers para se comunicar. Isso pode ser um reflexo da aversão à tecnologia durante toda a década de 90 e anos 2000.

O segundo PDF, chamado “RESEARCH: Trust in the Law” fala um pouco sobre o pequeno curta em preto e branco que abre o piloto, sobre Bass Reeves, uma figura real que escapou da escravidão e se transformou no primeiro U.S. Marshal do lado oeste do Mississipi. Aí os outros dois PDFs é que começam a deixar as coisas mais interessantes…

Veidt, Coruja e Rorschach

O terceiro PDF se chama “Veidt Declared Dead” e é uma matéria de jornal que explica o que aconteceu com Adrian Veidt, o Ozymandias, depois dos acontecimentos da HQ. Com publicação de setembro de 2019, a reportagem fala sobre o fato de o FBI ter declarado Veidt como morto e o fato da Trieu Industries ter assumido seus bens em 2017. O artigo fala sobre como o bilionário praticamente desapareceu depois de 2012, gerando diversas teorias sobre seu paradeiro.

Ele havia feito sua última aparição pública em 2007, depois de aceitar um prêmio do governo do Kenya. Ele perdeu dinheiro após sua patente de carros elétricos, que utilizavam uma bateria criada pelo Dr. Manhattan, fracassar pelo medo do povo, que ficou sabendo que aqueles que tinham contato com o Azulão desenvolviam câncer.

Ele ainda tentou realizar alguns investimentos depois do desastre dos anos 80, mas perdeu milhões, recuperando um pouco por causa de técnica de clonagem de animais de estimação, nomeada do seu antigo lince, Bubastis. Ele ainda doou dinheiro para hospitais que cuidavam de pacientes que sofriam de traumas psicológicos causados pelo evento da lulona gigante.

Já o último PDF, chamado de “MEMO: Rorschach’s Journal” fala sobre a Sétima Cavalaria, o grupo de extrema direita que se apropriou do visual do Rorschach, distorcendo ainda mais suas palavras (que já eram meio tortas) para suas ideologias racistas.

O memorando pede para o FBI não declarar Veidt como morto, já que isso daria ainda mais munição para o grupo. O texto ainda fala sobre Laurie Juspeczyck, que agora atende pelo nome Laurie Blake, usando o sobrenome do seu pai, Edward Blake.

Watchmen HBO

O memorando revela que depois dos acontecimentos da lulona, ela continuou trabalhando como Espectral, depois assumindo a figura de Comediante, em homenagem ao falecido pai. Em certa época, ela foi detida junto de Dan Dreiberg, o Coruja. Enquanto Laurie abandonou sua vida de vigilante e começou a trabalhar para o FBI, Dreiberg continua preso e em custódia federal por se recusar a falar sobre Rorschach e os acontecimentos da Antarctica. Basicamente, a Laurie todo mundo sabe que vai aparecer nos próximos episódios, mas O CORUJA TÁ VIVO E UMA HORA VAI APARECER.

Sobre o diário do Rorschach, é revelado que ele foi publicado pelo jornal The New Frontiersman, mas por causa da reputação de extrema direita e sensacionalista da publicação, foi ignorado pelo público, com Ozymandias afirmando que os escritos eram frutos da mente de um homem louco.

O responsável pelo memorando ainda fala que não importa se o que Rorchach escreveu era verdade porque, até onde se sabe, ele era um homem que, na melhor das hipóteses, era um homem bastante perturbado.

Alguns pontos ainda ficaram nebulosos, mas espera-se que a HBO vá atualizando a página a cada novo episódio da série, mas não deixa de ser interessante ver que os responsáveis pela série estão dispostos não só a usar os acontecimentos da HQ como base.

O que me preocupa é que essas coisas que vão acabar no site podem ser pouco exploradas na série, deixando aquela coisa de “quer saber? Vai no site”, que me parece preguiçoso. Se for algo apenas para enriquecer a narrativa e dar uma migalhinha pros fãs ficarem em cima enquanto não sai um novo episódio, tá valendo.

Watchmen passa todos os domingos na HBO.

Leia Mais
Na Marra: A Invasora, O Céu de Lilly e a autopublicação de livros na internet