Review: Samurai Shodown

Eu acho que devo começar esse review dizendo que, apesar de me acertar em boa parte dos gêneros de jogos de videogame, os de luta são os que eu geralmente tomo um cacete. São poucos os títulos que eu realmente SEI o que estou fazendo (Soul Calibur, te amo), porque acaba sendo um jogo de correria e combos bem encaixados. Se você sabe fazer, é lindo. Se você não tem tanta prática, é jogado de um lado pro outro da tela pensando “POR QUE?”.

Com o retorno de Samurai Shodown, a SNK acaba por trazer um gameplay diferente do que estamos acostumados hoje em dia, com Street Fighter, Mortal Kombat, Tekken e Dragon Ball FighterZ. Aqui, as coisas funcionam do jeito que deveriam funcionar em uma luta de espadas, entregando um jogo de luta que parece estar mais preocupado em estratégia e calma. Muita calma.

TE PASSO A LAMBIDA NO PESCOÇO

Eu nunca fui o maior fã dos jogos da SNK, apesar de gostar mais do que deveria de Fatal Fury. Lembro de amigos alugando Samurai Shodown para Super Nintendo ou ver o jogo em algum fliperama, mas nunca tive a familiaridade necessária para surtar loucamente com a nova versão do jogo.

Mesmo assim, o jogo sempre me intrigou e eu gostava do design dos personagens, então quando comecei a jogar, naturalmente, tomei um cambau imenso. Isso porque o gameplay de Samurai Shodown é mais lento, até porque um simples golpe que entra na defesa do seu personagem pode tirar um naco de sua vida. Por isso, cada movimento precisa ser pensado para não abrir demais a sua defesa e deixar o oponente retalhá-lo.

Isso acaba mudando a forma como você encara o jogo de luta, precisando estudar melhor os movimentos do seu oponente para saber o momento de defender e partir para cima no ataque. No começo, isso é um pouco complicado e poderia até frustrar alguns jogadores, mas após algumas partidas, é possível começar a entender melhor a mecânica do jogo.

Esse é talvez um dos únicos jogos de luta que eu diria que é realmente uma boa fazer o tutorial e treinar um pouco antes de enfrentar o computador ou outro jogador até para se acostumar com esse esquema mais lento (e mais impiedoso) do seu gameplay.

Graficamente, Samurai Shodown é bastante bonito e com um desempenho bem legal (a cópia cedida foi testada em um PS4 comum), com a movimentação e visual dos personagens chamando bastante atenção, mas ainda sem tirar o brilho dos detalhes dos cenários.

O jogo tem poucos modos extras, contando com o habitual esquema arcade, versus, treino e modo história, com uma pequena trama com cada um dos personagens, mas isso não chega a ser coisa ruim.

Samurai Shodown Luta

No geral, Samurai Shodown surpreende por não parecer querer inventar demais em cima do que os fãs esperavam, vide a aceitação do jogo frente ao seu público. É um game de luta diferente, porém que ainda traz uma familiaridade suficiente para ser agradável também para quem nunca jogou algum título da franquia.

Vale bastante a pena dar uma olhada no game, nem que seja para depois ver quem sabe fazer miséria nele e pensar “eu preciso aprender a jogar direito esse negócio”.

Samurai Shodown foi testado com código para o PlayStation 4 cedido pela Solutions 2 Go

Leia Mais
Sharknado vai virar jogo de celular (com direito a espadas e motosserras)