Review: Grim Fandango Remastered

Quando Tim Schafer anunciou na E3 o lançamento de uma versão remasterizada de Grim Fandango para os consoles da Sony, eu vi a oportunidade de jogar direito o game da LucasArts. Havia jogado há muito tempo atrás, mas, na época, ele não tinha me cativado como outros títulos do estúdio.

Hoje, com mais experiência e calma, vejo que tinha perdido algo realmente legal, desafiador e cretino.

Uma história mais sensacional que a vida

Grim Fandango Remastared traz a história de Manny Calavera, um agente que vende pacotes para o pós-vida já do outro lado. Conforme as atitudes das pessoas, elas recebem pacotes melhores ou acabam andando sozinhas num vale sombrio por toda a eternidade.

Quando Manny perde uma mulher que era quase uma santa, a busca o leva a trombar em uma trama de conspiração. Parece sério, mas é tudo numa fanfarronice sem igual, o que deixa as coisas mais divertidas.

grim fandango scenes (4)

O fato de tudo trazer uma temática baseada no folclore latinoamericano, com personagens saídos direto do Dia de los Muertos, deixa o jogo com um visual mais único, se destacando até mesmo nos dias de hoje.

Uma remasterização de verdade

A nova modinha cretina dos mundo dos joguinhos eletrônicos tipo videogame são as remasterizações que nada mais são que versões levemente esticadas de games lançados há muito pouco tempo. Um exemplo disso é a enxurrada de jogos de PS3 sendo lançados para PS4 em “versões definitivas”. Cretinice.

Quando Grim Fandango Remastered foi anunciado, um receio que eu tinha era o de que fariam exatamente isso: estica um pouco, coloca um menuzinho transudo e vai que vai. Qual não foi a minha surpresa ao ver que de fato a Double Fine retrabalhou o jogo inteiro para o público atual, trabalhando em cenários e personagens para deixá-los melhores.

É válido lembrar que Grim Fandango foi o primeiro título da falecida LucasArts a levar o adventure além do esquema point and click e todo em 3D, algo comum hoje em dia com os games da Telltale.

grim fandango scenes (5)

A atualização, que infelizmente não se estende às animações, não parece grande coisa, mas apertando um botão, é possível voltar às origens e ver os gráficos em sua forma original e aí a diferença é gritante.

Outro elemento que veio junto na remasterização é a dublagem do game. Algo que vai agradar os fãs que compraram a versão da Brasoft é que a dublagem em português está presente no jogo, dando aquela sensação gostosa de nostalgia de que aquele sotaque não tá legal, mas está fantástico ao mesmo tempo.

Empacando em adventures: eu tinha esquecido dessa parte

Veja bem, os adventures hoje em dia meio que viraram sinônimo de jogos da Telltale, mas a época dourada do gênero na mão da Lucasarts nos deu games fantásticos como Day of the Tentacle, Full Throttle e The Dig. Ao contrário dos Walking Dead da vida, eles eram jogos DIFÍCEIS. Até hoje eu tenho ódio daquele puzzle da tartaruga do The Dig.

Os títulos da Lucasarts dificilmente te davam dicas claras e te levavam pela mão para você aproveitar a história. É só ver como todo mundo fecha os episódios de games da Telltale em poucas horas. Você simplesmente vai avançando. É o tipo de jogo que você pode “jogar” pelo YouTube (nunca jogue algo pelo YouTube. Não me decepcione sendo esse tipo de pessoa).

Grim Fandango é um bom exemplo de como adventures podem fazer você meter a cabeça na quina da parede pelo simples fato de que não te dica alguma.

Você ou tem uma criatividade absurda para resolver puzzles ou simplesmente vai na base da tentativa e erro até que faça sentido pegar balões vazios, enchê-los de porcaria e enfiá-los num tubo aleatório para avançar. OLHA AS IDEIAS!

grim fandango scenes (3)

Se isso não te faz pensar nos verdadeiros desafios do passado, saiba que Grim Fandango Remastered, ao contrário da maioria dos jogos atuais, não tem auto save. Boa sorte ao conseguir pensar em algo que dá certo, avançar bastante e esquecer de salvar.

No fim das contas, Grim Fandango Remastered mostra que os antigos adventures da Lucasarts ainda conseguem desafiar e divertir como antes, com gráficos melhores ou não. A alegria ao lembrar que o próximo título a ganhar remasterização é Day of the Tentacle apenas aumenta.

Agora, Double Fine, faça Full Throttle depois. Se a remasterização de Grim Fandango é indicativo de qualidade, saiba que o dinheiro já tá pronto pra ser jogado na tela.

VEREDITO

Reviews grim fandango

Grim Fandango Remastered foi analisado no PlayStation 4, em cópia cedida pela Sony.

Leia Mais
Review — Mistaken for Strangers