Tem na Netflix #13 — Dicas de Eli Roth e Halloween

Como fazemos todas as semanas, o Tem na Netflix reúne alguns títulos da Netflix para você assistir nos próximos sete dias. Essa edição trará algo diferente, uma participação especial. Eli Roth, diretor de filmes como O Albergue, do vindouro Green Inferno, o Bear Jew de Bastardos Inglórios e produtor de Hemlock Grove, série exclusiva do Netflix, dá seus pitacos e sugestões para filmes a serem assistido hoje, no Halloween.

Para acessar os filmes e séries, basta clicar nos títulos aí embaixo. Para verificar as outras listas do Netflix que já fizemos, clique aqui e seja feliz.

Psicopata Americano

Psicopata Americano

“Quem não ama ‘Psicopata Americano’?A performance de Christian Bale ofusca até mesmo Jared Leto neste filme. Não dá pra competir com o Patrick Bateman dele, é uma das maiores performances da carreira de Bale. O filme é mais uma sátira do que um filme de horror, mas o personagem de Bale tem influência cultural até hoje, especialmente com as Kardashians com Scott Dissick.”

A Família Adams 2 

Família Adams

“Eu amo este filme, ele é totalmente subestimado. Não é assustador, é divertido e macabro, mas as performances e os cenários são tão inventivos e acima da média que você não consegue não amar o filme. As pessoas o negligenciam porque é uma sequência, mas eu acho que ele se sustenta como um clássico moderno.”

REC 

rec

“Este filme é muito bem-feito e assustador até a última cena. Um espetacular, espetacular filme de tensão.”

O Chamado

O Chamado

“Eu amo o remake do Gore Verbinski de ‘O Chamado’. Sou um fã do original, mas esse remake é muito, muito assustador, ancorado por uma atuação espetacular de Naomi Watts. “

Cloverfield 

Cloverfield

“As pessoas cutucam o gênero ‘ found footage’, mas quando ele é bem-feito, é muito efetivo. ‘Cloverfield’ é um ‘Godzilla’ filmado com uma camcorder. O desastre parece incrivelmente real, e o estilo documentário acrescenta muito a isso. Até a última cena, é aterrorizante, inteligente e divertido”.”

Leia Mais
Review: Tomb Raider – A Origem