Tem na Netflix #49 – Múmia, influenciador se lascando e Anna Kendrick

Você assinou a Netflix, está todo faceiro por ter uma bordoada de títulos para ver, mas a quantidade de coisas na tela acaba criando um problema. Muitas vezes, você passa mais tempo procurando alguma coisa para ver do que realmente assistindo um filme ou série.

Pensando nisso, resolvemos criar algumas listas com sugestões de filmes, séries e documentários disponíveis no Netflix brasileiro, dando os motivos pelos quais você deveria assistir aquilo. É o Tem na Netflix!

Sim, você simplesmente poderia ficar rodando a lista do Netflix e tentar a sorte com algum título, mas também pode ver em um ou dois parágrafos se um filme merece seu tempo ou não.

A ideia é cada lista contar com sete títulos, um para cada dia da semana. Sim, terão alguns filmes ou séries que todo mundo conhece, mas tem gente que não entende o motivo do hype e estamos aqui para oferecer aquele abraço e explicar o porque.

Para acessar os filmes e séries, basta clicar nos títulos aí embaixo. Para verificar as outras listas do Netflix que já fizemos, clique aqui.

A Múmia e O Retorno da Múmia

Trapaceando logo de cara porque meu site, minhas regras, junto dois filmes e falo sobre A Múmia e O Retorno da Múmia, filmes de aventura que, por alguns anos, mostraram que o Brendan Frasier tinha potencial para ser um baita ator de ação.

Tanto A Múmia quanto O Retorno da Múmia são muito divertidos, apesar de o segundo ter um dos piores usos de computação gráfica na criação do Escorpião Rei, o climão de aventura e a química entre o Frasier (que é basicamente é o molde usado pelo Chris Pratt, com a diferença que o Frasier é um ator melhor) e a Rachel Weisz fazem os filmes valerem muito.

O terceiro filme também está na Netflix, mas é meia boca, então assiste só esses dois e sucesso.

Mad Max

O filme que deu origem a franquia de George Miller, o primeiro Mad Max talvez seja o filme mais “ainda não deu merda, ixi, deu merda” da série, já que ele ainda mostra um fio de civilização antes de tudo ir pro saco.

Estrelado por um Mel Gibson anos antes de se mostrar um bêbado anti-semita e que bate em mulher, o filme serve pra mostrar a motivação principal do então policial Max pro resto da franquia.

Mr Right

Mr Right é um filme que traz Sam Rockwell claramente se divertindo no papel de um assassino de aluguel que acaba por conhecer uma moça e se apaixona por ela. A moça é a Anna Kendrick e isso já seria o suficiente pra mim, mas continua.

Ele acaba se tornando o alvo de outros assassinos e, sem querer, a moça se envolve na treta e o pau come. É um filme bobinho, mas divertido.

Fyre Festival

Você gosta de ver gente rica sendo passada pra trás por gente que gosta de mandar aquela lábia pra ganhar dinheiro, provando que enquanto tiver otário no mundo, malandro não passa necessidade? Gosta de ver algo que pode dar errado ir realmente pro saco e ninguém com bom senso mandar um “Ow, deu merda. Para com esse negócio”? Fyre Festival mostra tudo isso.

Fyre Festival Netflix

Mostrando a criação, organização e eventual desastre do Fyre Festival, o documentário é divertido de assistir pelo acúmulo de absurdos que foram acontecendo e as pessoas simplesmente continuavam como se tudo aquilo fosse dar certo no final.

The Equalizer

The Equalizer é um filme baseado em uma série de TV dos anos 70, estrelado por Denzel Washington. Aqui, ele vive um sujeito que tenta não chamar atenção, vivendo sua vida sossegada. Quando ele conhece uma jovem que teve sua vida ameaçada, ele resolve voltar ao seu jeito do passado.

O passado dele era ser um agente que basicamente, se desse merda, era chamado pra resolver. E aqui ele resolve e bem. São duas horas de Denzel Washington sendo um fodão. Vale a pena assistir.

O Quarto de Jack

Estrelado por Brie Larson, de Capitã Marvel, e Jacob Trambley, de Good Boys, O Quarto de Jack é um filme pesado que conta a história de uma jovem que é sequestrada ainda adolescente e passa anos em cativeiro, tendo um filho após abusos do seu sequestrador.

O filme não é fácil de assistir e mostra o efeito de um sequestro como esse na vítima, assim como na sua família e também no seu filho, que não sabe como é o mundo de verdade. Baita filme e faz muito sentido a Brie Larson ter faturado um Oscar de Melhor Atriz por ele.

Deuses do Egito

Depois de um filme ganhador de Oscar, nada melhor que um filme ruim. Deuses do Egito é um longa bem cretino, mas que faz tudo com tanta força que acaba se tornando divertido. Aqui, os tais deuses lutam entre si pelo poder e honra, tendo Horus, interpretado por Nikolaj Coster-Waldau, de Game of Thrones, como personagem principal.

É ruim, mas é bom ao mesmo tempo. E fora que é interessante ver gente como Chadwick Boseman e a Élodie Yung antes de virarem Pantera Negra e Elektra.

BONUS

American Gods – Segunda Temporada

A segunda temporada de American Gods finalmente estreou no Amazon Prime Video.

A temporada terá um episódio por semana no serviço de streaming, já que é exibida originalmente na TV americana e o episódio depois é liberado pela Amazon para o resto do mundo. A primeira temporada completa está disponível no Prime Video.

Sem mais artigos