Tem na Netflix #39 – Amy Winehouse, Dark Helmet e Sucker Punch!

Você assinou a Netflix, está todo faceiro por ter uma bordoada de títulos para ver, mas a quantidade de coisas na tela acaba criando um problema. Muitas vezes, você passa mais tempo procurando alguma coisa para ver do que realmente assistindo um filme ou série.

Pensando nisso, resolvemos criar algumas listas com sugestões de filmes, séries e documentários disponíveis no Netflix brasileiro, dando os motivos pelos quais você deveria assistir aquilo. É o Tem na Netflix!

Sim, você simplesmente poderia ficar rodando a lista do Netflix e tentar a sorte com algum título, mas também pode ver em um ou dois parágrafos se um filme merece seu tempo ou não.

A ideia é cada lista contar com sete títulos, um para cada dia da semana. Sim, terão alguns filmes ou séries que todo mundo conhece, mas tem gente que não entende o motivo do hype e estamos aqui para oferecer aquele abraço e explicar o porque.

Para acessar os filmes e séries, basta clicar nos títulos aí embaixo. Para verificar as outras listas do Netflix que já fizemos, clique aqui.

1) Amy

amy_poster_704_2

O “feel bad movie of the week”, Amy é um documentário que conta a ascensão e queda de Amy Winehouse, cantora absurdamente talentosa que sucumbiu às drogas em 2011.

O documentário não segura a onda na hora de mostrar o começo do sucesso da cantora, seus problemas com a fama, drogas, família, bulimia e os vários momentos em que claramente era possível notar que ela precisava de ajuda e todo mundo à sua volta só “tocava de barriga”.

É um documentário pesado, mas importante e que merece ser assistido.

2) Os Reis da Rua

Street Kings

Os Reis da Rua não é um filme espetacular, apesar de ser estrelado pelo Keanu Reeves e dirigido por David Ayer, de Esquadrão Suicida. A sua história também não é particularmente original (um policial meio corrupto acaba como suspeito da morte de seu antigo parceiro e tenta provar sua inocência e descobrir os mandantes do crime).

Só que ele é realmente maneiro e vale muito pra um sábado sem fazer absolutamente nada na sua casa. Pense nele como um filme de SuperCine. No máximo, uma Tela Quente maneira.

3) Três Vezes Amor

tres vezes amor

Provando que não sou uma pessoa tão horrível, tá aí um filme de romancezinho que sempre que tenho a oportunidade, paro pra assistir. Três Vezes Amor conta a história de um sujeito, vivido pelo Ryan Reynolds, contando pra sua filha pequena como conheceu a sua mãe.

Só que pra deixar as coisas interessantes, ele omite qual das moças que conheceu na mesma época é a mãe, fazendo a criança adivinhar. Pense num How I Met Your Mother, mas em quase duas horas e sem um filme ruim que te faz querer rasgar um cu com a unha.

4) S.O.S. Tem um louco solto no espaço

Spaceballs

Provavelmente a melhor paródia de Star Wars já feita, S.O.S. Tem um louco solto no espaço é um filme dourado criado pelo Mel Brooks e que reconta na zoeira a história de Guerra nas Estrelas (sim, GUERRA NAS ESTRELAS), com o Yogurt, aquele Jabba feito de pizza e muito mais.

Sério, baita filme.

5) Expresso do Amanhã

snowpiercer

Tá aí um filme maneiro que demorou três eras pra chegar por aqui. Expresso da Amanhã é baseado em uma graphic novel francesa e conta a história de uma época da Terra em que uma nova era glacial tomou conta do planeta. Para sobreviver, parte da humanidade se abrigou dentro de um trem enorme chamado Snowpiercer.

Em dado momento, a parte pobre da humanidade que restou no trem entra em confronto com a parte armada e rica. Pau come. O filme é bem mais que isso e, em alguns momentos, é BEM pesado, mas vale a pena, nem que seja pela cena de pancadaria no escuro.

6) Quarteto Fantástico

Quarteto Fantástico

Sim, Quarteto Fantástico. “Mas esse filme é ruim”. Concordo, mas veja o filme lançado em 2015 e você vai entender porque a adaptação de 2005 tá aqui. Sim, a melhor coisa do filme é a interação entre o Tocha Humana com o Coisa, a escalação de Jessica Alba pra Sue Storm é um tiro no pé, mas sei lá, o filme é ruim, mas de uma época que a galera tava começando a pegar o jeito de fazer filme de gibi BOM.

O segundo filme é ruim demais, mas esse primeiro ainda dá pra assistir sem se ofender.

7) Sucker Punch

sucker-punch01

Outro filme que uma galera fica de chilique quando eu falo que gosto, Sucker Punch não é um filme ruim, mas sim, um filme zoneado. Ele é claramente o sonho molhado de um moleque de 15 anos que pensou “SABE O QUE SERIA LEGAL? GOSTOSINHAS COM POUCA ROUPA LUTANDO CONTRA SAMURAIS GIGANTES! E ROBÔS! ZUMBIS NA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL! TIROS! ESPADAS! UM DRAGÃO!”.

O problema é que o Zack Snyder pensou tudo isso e não teve ninguém do lado falando “Fera, segura a onda. Vamos colocar tudo isso, mas com calma. Vamos ver o que realmente funciona pra história”. Visualmente, Sucker Punch é incrível. Se você pegar cenas dele, o negócio é louco. Como um todo, é uma zona. Zona que você pode assistir na Netflix sem medo de ser feliz.

E baita trilha sonora também.

Leia Mais
Homem-Formiga: imagem promocional mostra o vilão do filme