Será que realmente é hora de Miles Morales ser o Homem-Aranha no cinema?

Homem-Aranha vai aparecer em filmes da Marvel. A notícia chegou nessa semana cheia de vontade, fazendo meio mundo ficar feliz no processo. No release, Sony (que ficará responsável pelos filmes solo do herói) e Marvel (que vai usar o personagem em seus filmes e ajudar a Sony na produção do resto), é mencionado “uma nova direção” para a franquia, o que significa um novo Homem-Aranha. Falou, Andrew Garfield.

Como já era esperado, a internet pulou com a oportunidade e vários sites começaram a publicar “Próximo Homem-Aranha PRECISA ser negro e/ou o Miles Morales”. Pra quem não sabe, Miles Morales é um jovem negro de origem hispânica e que assume a identidade do Homem-Aranha após o Peter Parker do Universo Ultimate morrer. De fato, o Miles é um personagem interessante e tudo mais, só que não faria sentido algum ter ele como o Homem-Aranha que a Marvel e a Sony vão mostrar já no ano que vem em Capitão América: Guerra Civil. E aqui mais ou menos porque.

Quem é Miles Morales?

Miles Morales foi criado pela Marvel após o editor-chefe da editora resolver que, com a eleição de Barack Obama como Presidente dos Estados Unidos, era hora de mudanças no país e um bom momento para rever alguns dos maiores ícones da empresa. No embalo, uma campanha (que morreu na praia) para que o ator Donald Glover, o Troy de Community, fosse escalado como Peter Parker em O Espetacular Homem-Aranha (because internet), apareceu quase na mesma época e ajudou a fomentar mais a ideia de um personagem negro como Homem-Aranha.

Quando a Marvel resolveu que mataria o Peter Parker do Universo Ultimate, Miles Morales surgiu como aquele que assumiria o manto do herói e continuaria o seu legado. No gibi, isso funciona. A criação do personagem foi aprovada até mesmo pelo Stan Lee, que viu o novo herói como um bom exemplo para fãs não-caucasianos, apesar de achar que foi vacilo fazer isso matando o Peter Parker.

Homem-Aranha Miles Morales

Na época, muita gente achou que a criação do personagem pra fazer o Homem-Aranha ser negro foi uma jogada da Marvel para agradar a galera politicamente correta, mas foi usado o argumento “Esperem pelas histórias pra começarem a julgar”. Realmente, o Miles conseguiu se mostrar um personagem divertido e que soube dar continuidade às histórias de Peter Parker.

Com o tempo, o Miles se tornou popular entre os fãs de quadrinhos, fazendo com que ele se tornasse o único motivo pelo qual o Universo Ultimate ainda existia. Com os atuais planos da Marvel, ele vai para o universo “padrão” e o Ultiverso deve ir pro saco mesmo.

O Miles já apareceu em um episódio da animação Ultimate Spider-Man (e dublado pelo Donald Glover), sua roupa era destravável no jogo The Amazing Spider-Man 2 e tudo mais. Ele de fato está mais conhecido pelo público que acompanha quadrinhos. Só que isso não é o suficiente pra colocá-lo como Homem-Aranha no cinema.

Mas por que não pode aparecer no cinema?

Veja bem, não digo que ele nunca poderá aparecer no cinema. Apenas que ainda não é a hora dele. “Ah, mas já tivemos dois Peter Parker em tantos anos”. Pois agora, muito provavelmente, teremos
três Peter Parker no cinema em tantos anos.

miles-morales-and-peter-parkerUma coisa que parece não entrar na cabeça do povo é que filmes baseados em quadrinhos não são feitos para fãs de quadrinhos. Sim, eles trazem algumas coisas que fazem com nós tenhamos um surto no cinema, mas o público alvo dessas produções é aquele sujeito que não faz ideia que o Batman teve um filho com a filha de um dos seus vilões. Que não faz ideia que existe mais de um Flash. O cara que sabe só que o Batman é o Bruce Wayne e que o Homem-Aranha é o Peter Parker.

“Ah, mas já é de conhecimento que poderia ser qualquer um debaixo da máscara”. Então, não é bem assim.

A ideia de usar uma máscara geralmente significa que realmente pode ser qualquer pessoa ali, mas existem alguns personagens que acabam se transformando em algo que transcende isso. Você pode colocar qualquer cara vestido de Batman. Ainda não será o Batman, é um cara vestido de Batman. Coloca o Bruce Wayne na jogada e, ok, é o Batman. O mesmo é válido para o Homem-Aranha.

O Homem-Aranha não é um uniforme maneiro e uns poderes legais. O que fez o Homem-Aranha se transformar em possivelmente o maior personagem da Marvel, arrecadando uma grana violenta pra empresa e tendo milhões de fãs ao redor do mundo, é o sujeito por baixo da máscara. O que faz o Homem-Aranha ser adorado é o Peter Parker.

Então o Miles Morales não é o Homem-Aranha? Sim e não. Ele usa uma roupa igualmente maneira e tem uns poderes similares ao do Peter. Por mais que ele seja legal e tenha boas histórias, no fim do dia, ele é não é O Homem-Aranha. No próprio universo Ultimate o Peter Parker voltou dos mortos, mas como o universo vai pro saco, deixaram o Miles continuar como Aranha porque uma galera curtiu. Os quadrinhos permitiram que o público se habituasse com a mudança e aí a aceitação aumentou.

Colocar um personagem que não é o Peter Parker como o primeiro Homem-Aranha a aparecer no Universo Marvel nos cinemas não só é arriscado como idiota. “Mas os tempos atuais permitem”. Não deixa de ser idiota. É uma oportunidade de ganhar dinheiro jogada no lixo pra agradar uma parcela do público geral que vai no cinema.

Então quando?

Segundo o acordo da Sony e da Marvel, o Homem-Aranha deve aparecer em filmes da Marvel e terá suas aventuras solo produzidas pela Sony. É basicamente o que rola com os outros personagens, mas quando ele estiver dentro de um filme do Marvel Studios, é a Marvel que manda em tudo, enquanto no seu próprio filme, a Sony tem a palavra final (que provavelmente será “Sim, senhora” pra Marvel).

Outro elemento, que parece passar despercebido para muita gente, o release tem a seguinte passagem:

“A Sony Pictures e os Estúdios Marvel compartilham um amor pelos personagens do universo do Homem-Aranha e têm uma história longa e bem sucedida de trabalhar juntos. Este novo nível de colaboração é a maneira perfeita para levar a história de Peter Parker para o futuro.”

Essas são palavras de Doug Belgrad, presidente da Sony Pictures Entertainment Motion Picture Group e provavelmente são de comum acordo com a Marvel. PETER PARKER. É o Parker que será o Homem-Aranha, não o Miles. Ainda não entendo porque diabos a internet tá nessa de “ACHO QUE É O MOMENTO DE TER O MILES”. Só que digamos que a Marvel e a Sony tenham interesse em um Homem-Aranha reserva.

Basta apresentar o Miles em filmes solo. Faz o novo Parker crescer no personagem e, se for o caso, cria um motivo pro Miles assumir o manto. É só fazer com que o público geral (o que realmente interessa) conheça e se acostume com o personagem, para então dar destaque a ele. Enfiar um Miles Morales de supetão na Guerra Civil apenas faria uma galera bater palminha e a maioria do público falar “Que porra é essa?”

Mas e um Peter Parker negro?

A resposta para isso é “Ok” e “Provavelmente não vai rolar”. O acordo original entre Sony e Marvel continha uma cláusula de Obrigações da Integridade do Personagem. Nela, existiam alguns pontos que não poderiam ser alterados pela Sony, caso contrário, os direitos seriam revertidos à sua empresa de origem. No meio deles, existem as exigências de que o Homem-Aranha precisa ser caucasiano e se chamar Peter Benjamin Parker (mais um possível tapa na possibilidade de usarem o Miles agora). O Judão falou um pouco mais sobre esse acordo entre Marvel e Sony e também levanta a questão se foi feita alguma mudança com essa nova parceria.

Melhor pijama
Melhor pijama

Caso isso continue do mesmo jeito, não adianta socar Twitter com hashtag pro Donald Glover ser o novo Homem-Aranha. Mas se essa cláusula foi alterada, e a possibilidade existir, também não vejo muito isso acontecendo pelo motivo de “público geral”. Sim, mudaram a cor de pele do Tocha Humana no novo filme do Quarteto Fantástico, com muita gente falando um monte de porcaria sobre isso. Agora, pensem que o Tocha Humana não é nada perto do que o Homem-Aranha representa.

Aí lembre que esses filmes são um negócio. Você pode querer acreditar num mundo dourado em que os filmes são movidos pela arte e que todos entenderiam a licença criativa e unicórnios vomitam arco-íris, mas no mundo real, esse negócio tem que render uma quantidade absurda de dinheiro pra fazer valer o investimento. A única chance disso acontecer é agradando o maior número possível de pessoas. Como fazer isso: Passando uma mensagem de igualdade e mudar algo no personagem ou não mudar no que todo mundo já conhece e ter um grupo relativamente pequeno reclamando antes de verem um segundo de filme, enquanto o resto do público vai dar dinheiro pra eles?

Na teoria, um Homem-Aranha negro seria importante para passar uma sensação de diversidade não só no Universo Marvel nos cinemas, mas em blockbusters em geral. Só que, novamente, pense que pare do público geral chiou com a mudança do Tobey Maguire pro Andrew Garfield, fazendo com que muitos não optassem em assistir aos filmes dele. Tanto a Marvel quanto a Sony teriam que mostrar uma coragem quase inexistente em Hollywood pra mudar algo nesse nível.

O negócio é realmente esperar

ultimate-spiderman-miles moralesA Sony e a Marvel podem muito bem surpreender todo mundo e apresentar uma nova versão do Peter Parker nos cinemas. Isso deve acontecer em breve, já que o personagem deve ser apresentado em Capitão América: Guerra Civil, e precisaria de um ator pronto para gravar em alguns meses. Rumores indicam que os novos filmes não apresentarão a origem do Aranha (AINDA BEM), mostrando um Peter Parker jovem, o que já excluiria o Donald Glover, que tem 31 anos (a mesma idade do Andrew Garfield). Dois nomes que estariam entre os favoritos dos estúdios são Logan Lerman e Dylan O’Brien, mostrando que não deveremos ter mudanças muito drásticas no personagem.

Só parem com essa cretinice de que um personagem PRECISA mudar de cor, sexo ou preferência sexual porque VOCÊ quer. Ele não precisa, funciona do jeito que tá. Seja mais sincero e fale “Eu quero que seja assim porque sim”. É tipo o pessoal que queria que o novo Doctor Who fosse uma mulher. Eu acharia bem interessante a mudança, que é bem possível no futuro. Só que mudar “PORQUE SEMPRE FOI ASSIM E TEM QUE SER DIFERENTE AGORA” é meio jacu. Faça a mudança fazer sentido PRO PERSONAGEM E PRA HISTÓRIA, e aí tudo bem.

Lute para ter mais personagens femininos, negros, de todas as sexualidades possíveis, tendo destaque para que todos possam se identificar. Não fique lutando pra mudar os que já existem. É a eterna luta PELO espaço, em vez de luta POR espaço. O negócio nunca vai pra frente desse jeito.

Talvez, quando chegar a hora de verdade de Miles Morales aparecer em um filme, aí todo mundo consiga ver que é mais tranquilo construir novos personagens e, com o tempo, aumentar o destaque deles, do que sair mudando tudo pra acomodar o que você acha certo. O mundo não é um lugar perfeito, então se mudar algo do nada, a chance de dar errado é bem grande e dar dois passos pra trás.

Se é pra fazer, você prefere que seja na correria e no grito ou de um jeito decente? Pois é.

Leia Mais
Marvel Studios quer um novo ator como Homem-Aranha nos cinemas!