Friendzone. A primeira coisa que vem à mente quando se vê a sinopse de Será Que?, novo filme estrelado por Daniel Radcliffe e Zoe Kazan é o termo utilizado por moleques que não conseguem aceitar que nem sempre a mulher deve pegação se acaba se importando com eles.

Só que Será Que? mostra, apesar de seus momentos clichês, ainda é possível tratar de maneira leve e espirituosa o tema “pessoas de sexo diferente podem ser apenas amigas?”.

Reaprendendo a amar

Será Que? começa com a história de Wallace, interpretado por Daniel Radcliffe. Após um período na tristeza após o término de um namoro sério, ele vai até a festa de um amigo e lá conhece a prima do sujeito, Chantry, interpretada pela sempre nhuizinha Zoe Kazan.

Desde os primeiros momentos de interação entre os dois, você vê que existe algo especial ali, provavelmente pela química que os dois atores demonstram. É válido mencionar que o Daniel Radcliffe está conseguindo se desvencilhar do papel que o fez famoso, mostrando muito mais personalidade como Wallace do que o fez em 8 filmes do Harry Potter.

Será Que 2

Como você já deve imaginar, é revelado que a moça tem um namorado e gostaria de ser amiga do Wallace. Meio aborrecido pela situação, ele acredita que uma amizade pode nascer dali e segue com isso.

E aí você vê que existe a possibilidade de um homem e uma mulher serem amigos, mas a chance de isso dar errado é absurda. Principalmente quando um dos lados começa a ter ideias sobre como poderia ser se as coisas fossem diferentes.

Acreditando na amizade (e no amor)

Será Que? é um filme que consegue fazer você se sentir mais esperançoso em relação ao amor e até mesmo em relação à amizades. O filme é leve e divertido, graças aos seus cenários em Toronto e Dublin, pelo seu elenco de apoio e, principalmente, pela dupla principal.

Se o Radcliffe finalmente parece uma pessoa que não está prestes a lutar contra um sujeito sem nariz, boa parte da magia de Será Que? está na Zoe Kazan.

Será Que 1

Desde Ruby Sparks (filme que ela estrela e é roteirista), é impossível não ver o jeitinho dela, com seus olhos grandes, e não entender como alguém poderia se apaixonar por ela. E o mais interessante da Chantry é que ela não chega a cair na categoria de “garota dos sonhos”, como praticamente todos os papéis da Zoey Deschannel.

Apesar de existir um outro elemento ali, a Chantry me pareceu mais “real” que as outras, tendo uma personalidade e motivações ligadas à personagem, não estando ali apenas para fazer o sujeito se encontrar na vida.

Será Que?: Manjado, porém simpático

Antes de você chegar na metade de Será Que? já consegue imaginar como a história vai se desenrolar, apesar de existirem algumas mudanças no meio do caminho. Mesmo assim, a maneira como o filme foi construída é tão gostosa que você acaba não se importando com isso e apenas aproveitando a jornada.

Existem alguns momentos que você sente que o filme poderia ter ousado mais e ter tratado com mais profundidade os acontecimentos mostrados, mas nada disso acaba deixando o longa melhor ou pior.

Será Que

Ao final de Será Que?, fica só a esperança de que você possa encontrar alguém que seja amiga o suficiente, seja só pela amizade ou algo mais, que consiga ficar na tua frente e não te socar a fuça quando você falar sobre, sei lá, o sanduíche preferido do Elvis ou o peso das fezes do Rei do Rock quando ele morreu.

Acho que esse é o sonho, né?

Sem mais artigos