Review: Os Vingadores 2 — A Era de Ultron

Antes de entrar na sessão de Os Vingadores 2: A Era de Ultron, eu já tinha um review preparado na minha cabeça. Ele era basicamente vários palavrões e um “VAI VER ESSE FILME DE UMA VEZ”. Agora, após ter assistido, continuo com a opinião de que você tem que assistir esse filme de uma vez, mass também tenho mais coisas pra falar. Tipo “Elizabeth Olsen, te amo”, mas muito mais.

Uma história já meio manjada, mas divertida

Os Vingadores 2 já começa na correria. Ele não tenta arrumar uma desculpinha para o Capitão América ou Homem de Ferro juntar a galera para enfrentar uma nova ameaça. Tudo já começa com o grupo junto, dando aquele pulinho em câmera lenta e sentando a porrada na galera.

avengers2-trailer-gif-1

Apesar de isso parecer bastante com o início de um Os Mercenários da vida, a sequência inicial do filme serve bem para apresentar os irmãos Pietro e Wanda Maximoff. Eles não são chamados de mutantes, mas também não parecem muito estar num esquema de Inumanos. Até segunda ordem, eles são apenas sobreviventes de experiências feitas pela Hydra. Ok.

Toda a criação do Ultron e os problemas que isso acarreta saem da vontade de fechar todas as pontas soltas deixadas pelos outros filmes, algo que me pareceu bem interessante.

Avengers 2

Se eu tivesse que classificar Vingadores 2 em algo serializado e levando em consideração as fases do Universo Marvel nos cinemas, eu diria que ele serve bem como final de segunda temporada. O filme anterior é o primeiro payoff decente da série. É o final de primeira temporada, onde tudo o que foi feito anteriormente precisam dar em alguma coisa.

A Era de Ultron é o final da segunda temporada, com a audiência já garantida e só jogando umas coisas que vão fazer diferença na já mais interessante terceira temporada. Lembra quando rolava aquela leve reclamação que alguns momentos dos filmes da Marvel pareciam existir só pra juntar tudo pros Vingadores? Então, Vingadores 2 parece dar um monte de dicas e situações para serem resolvidas em outros filmes.

Isso incomoda? Não, mas você percebe rápido que está vendo um festival de teasers disfarçado de um filme MUITO divertido. Pelo menos isso.

Ultron: só mais um vilão de filme da Marvel

Os filmes da Marvel são elogiados por uma galera, todo mundo dá um mortalzinho de costas sempre que um deles é lançado, mas acho que dá pra falar que é um consenso geral de que quase todos eles têm vilões esquecíveis. Até agora, a Marvel acertou MUITO BEM a mão com dois vilões, um do cinema e outro da TV: Loki e Rei do Crime. O resto só tá lá.

“AH, mas tem o Caveira Vermelha”. Se você não lê quadrinhos, o personagem já fez o que tinha pra fazer e abraços. Não causou um impacto forte o suficiente. “MAS NOS QUADRINHOS…”. Potencial pra ser sensacional todos os vilões da Marvel têm. Só Kingpin e Loki deram certo de verdade. Infelizmente, Ultron se junta ao bolo da galera que é ok e fica por aí.

Ultron Vingadores

O trabalho do ator James Spader é legal e em mais de uma cena você vê que o personagem tem potencial, já que consegue cometer alguma atrocidade e, logo em seguida, ser debochado e te fazer rir. Só que tem algo que falta ali. Não sei se é porque o conflito dos Vingadores se torna muito mais uma coisa interna pela existência do Ultron do que pelas coisas que ele faz, mas não clica como deveria.

Para se ter ideia, a Feiticeira Escarlate consegue desempenhar um papel de vilã melhor em parte do filme do que o próprio robozão caótico. Inclusive, sobre a personagem, Elizabeth Olsen = melhor Olsen e que, até segunda ordem, é dona do meu S2. Sério, parabéns pra moça, que além de sensacional, faz bem o papel da Wanda. Falando nisso…

“Ele corre rápido e ela é estranha”

A inclusão dos irmão Maximoff, interpretados por Aaron Taylor-Johnson e a Elizabeth Olsen, ajuda bastante para deixar o filme “diferente”, já que os poderes deles são relativamente diferentes dos outros vingadores. Eu sinceramente queria ter visto mais deles, já que quando você realmente começa a se empolgar com eles, o filme acaba.

Feiticeira Escarlate e Mercúrio

O mesmo vale para o Visão. A cena que ele surge pela primeira vez é sensacional por vários motivos, alguns deles que nem são diretamente ligados a ele, mas sim um gostinho de como será a Guerra Civil. Só que falta tempo pra mostrar um pouco mais dele pra falar “Tá aí, que sujeito maneiro. Ou neutro pra caramba, sei lá”.

FINALMENTE JUSTIÇA PARA O GAVIÃO ARQUEIRO

De todos os Vingadores ativos, provavelmente o Gavião Arqueiro foi o que mais se lascou no Universo Marvel. Ele foi apresentado no primeiro filme do Thor e mostrava potencial. Chega Vingadores e o cara passa quase todo o filme “possuído”, começando a ser legal no finalzinho. E aí some de novo pelo resto dos filmes da Marvel.

Em Vingadores 2, o Jeremy Renner finalmente consegue mostrar o quão legal pode ser como Clint Barton, chegando a ser o melhor personagem do filme. Ele sabe que é só um maluco com um arco e flecha, enquanto tá lutando contra uma assassina treinada desde criança, um super soldado, um maluco numa armadura de ferro, um monstro verde e um deus nórdico. Mesmo assim, ele tá lá, atirando bem pra cacete.

Gavião Arqueiro

E é aí que percebemos que o cara é a cola do grupo. Ele é o sujeito responsável por deixar todo mundo centrado, já que cada um é tão estranho que ter alguém normal por perto ajuda bastante. Fora que ele é responsável por algumas das melhores falas do filme, quase me querendo ver um filme só do Gavião Arqueiro fazendo as paradas dele. Sérião.

Concluindo: vá ver esse negócio de uma vez

Os Vingadores 2: A Era de Ultron não é um filme perfeito. Ele tem um ou outro defeito e, como disse lá em cima, ele parece muito mais uma forma de preparar a galera pro que está por vir que um filme de verdade. Se não fosse por um roteiro legal (o filme é melhor que o primeiro Vingadores como FILME), eu diria que é uma grande desculpa pra juntar o elenco, tomar umas cervejas e se divertir.

Dizer que o filme é ruim, que “a Marvel se perdeu” com ele e tudo mais é meio que querer aparecer e se sentir como um especial floco de neve, diferente de todo mundo. Ele dá margem pra você reclamar de alguns pontos (rola spoiler se falar aqui, mas tem), mas ainda serve ao seu propósito, que é ser um filme divertido da Marvel.

E sério, quando você assistir pelo menos à “cena Vingadores” (você vai saber do que eu tô falando quando ver), a única coisa que passará na sua cabeça é “Os desgraçados acertaram de novo. Preciso assistir isso mais uma vez”.

Vaultinhos surtando com Vingadores
Vaultinhos surtando com Vingadores

PS: Sim, existe uma cena no meio dos créditos, que, sinceramente, me parece bem qualquer coisa. E não tem mais nada depois, só créditos mesmo.

PS2: Sério, Elizabeth Olsen <3

Leia Mais
Sony cancela o lançamento de A Entrevista nos cinemas americanos