Quando Jordan Peele anunciou Corra!, vou confessar que fiquei com o pé atrás, afinal de contas, eu só tinha visto o cara em sketches do programa de humor dele, Key & Peele (inclusive, isso aqui é maravilhoso!).

Ver o cara não só ir para fora da comédia, mas para suspense e drama, parecia um salto perigoso, mas que o cara fez, dando mortal e caindo de pé. Corra! é um baita filme e que rendeu um Oscar ao Peele, então quando ele anunciou Nós, o mundo inteiro prestou mais atenção.

Todos os trailers do filme mostram muito e nada ao mesmo tempo, fazendo com que você meio que fique perdido exatamente sobre o que ele se trata. E talvez essa seja a maior sacada de Nós.

Ao não mostrar todas as suas cartas logo no início (a própria história é confusa ao contar para alguém, mas funciona dentro do filme), Nós acaba criando um clima de tensão exatamente por você não ter ideia do que vai acontecer.

Se eu contar até como o filme começa, é capaz de tirar um pouco dessa tensão, então se você tem noção do que foi apresentado no trailer (uma família de férias é atacada por uma família que é idêntica a eles), é o suficiente para se envolver com toda a trama.

O que eu posso dizer é o seguinte: Winston Duke ficou famoso após ser o M’Baku em Pantera Negra e Vingadores: Guerra Infinita, mas Nós mostra que o cara tem jeito pra ser uma estrela de verdade. Ele é realmente carismático e, com um papel de destaque, consegue roubar a cena em vários momentos.

Os atores mirins são muito bons, algo que eu não tava esperando tanto. Agora, Lupita Nyong’o merece um Oscar ou qualquer coisa por esse filme. Sim, eu já tô falando de Oscar do ano que vem EM MARÇO, mas ela é impressionante no filme.

Seja pela sua versão “normal” ou versão “do mal” (principalmente por ela), você não consegue tirar os olhos da tela quando ela está ali. É um trabalho excelente e que poderia ser ruim, não fosse o roteiro do Jordan Peele.

E aqui falo sobre o diretor, roteirista e produtor do filme. Corra poderia ter sido só sorte de principiante. Nós mostra que o Peele é realmente bom no que faz e tem um talento pra fazer filmes tensos, mas com personagens que parecem pessoas de verdade e, por isso, muitas vezes encontram humor até mesmo em momentos de puro terror. Não é todo mundo que consegue fazer isso.

O cara mostra que não foi só um tiro no escuro que deu certo, e me deixa muito mais interessado nos seus futuros projetos, como o revival de Twilight Zone que ele está produzindo.

“Então Nós é melhor que Corra?”, você pode perguntar. Então, não é. Eu confesso que saí do cinema até pensando “É, talvez não seja tudo isso” porque Nós é um filme ESQUISITO. Ele começa de um jeito e, lá pelas tantas, ele te dá uma rasteira e você fica “Calma, o que porra tá acontecendo aqui?” que te deixa meio desnorteado.

Quando ele chega ao fim, a sensação é esquisita e talvez essa tenha sido a impressão que o Peele queria passar. Com o tempo passando e o filme ainda na mente, algumas coisas passaram a fazer mais sentido e deixarem de serem esquisitas pra virarem algo diferente.

Nós não é um filme perfeito, falar sobre os exatos momentos que me fizeram pensar “Tá zoado isso aí” seria um spoiler, mas eles estão lá. Mesmo assim, é um filme que consegue prender a sua atenção até os últimos segundos, algo que poucos suspenses hoje em dia conseguem com tanta eficácia.

Jordan Peele é bom. BOM PRA CACETE! Corra ainda é um filme que me agradou mais como um todo, mas Nós é com certeza muito mais tenso. São filmes diferentes, mas que mostram que o Peele pode ter uma carreira brilhante por trás das câmeras por muitos e muitos anos.

Leia Mais
WWE RAW: The New Era has taken over!