Quando um novo filme do Nicolas Cage é anunciado, a chance de ele ser um horror é sempre muito grande, já que o ator parece estar em um eterno experimento de simplesmente não negar qualquer tipo de papel. Na realidade, sabemos que é para bancar o estilo de vida extravagante dele, mas gosto de pensar que ele na verdade é um baita ator só querendo ENGRANDECER filmes ruins com a sua presença.

Só que quando Mandy teve seu primeiro trailer divulgado, surgiu aquela esperança de que o cara tava mais uma vez em um filme foda, já que uma história que tem Nicolas Cage usando uma motosserra como se fosse uma espada não pode ser ruim.

Mandy Andrea Riseborough

O filme foi lançado em poucos cinemas nos EUA e em formato digital quase que no mesmo dia e agora estamos aqui para responder “Será que o filme é tão legal quanto aquela cena do trailer?”. A resposta é “Aquela cena consegue ser uma das coisas menos interessantes de Mandy. Sério.”.

Sobre o que se trata Mandy?

Mandy conta a história de Red (Nicolas Cage) e Mandy (Andrea Riseborough), um casal meio esquisito que vive no meio do mato, no início dos anos 80. Ele, um lenhador, e ela, uma balconista numa lojinha decadente de beira de estrada, vivem sua vida tranquilamente, até o dia em que Mandy é vista pelo líder de uma seita bizarra (Linus Roache), que resolve que ela precisa ser sua. Merda acontece e Red entra em modo Full Cage.

Mandy Pôster

Falar mais sobre o filme é entregar pontos importantes da sua história, mas é possível dizer que Mandy é um dos filmes mais “isso ficaria louco de wallpaper ou numa camiseta” que eu já vi. Blade Runner 2049 me passou a mesma sensação enquanto assistia e aqui parece que tudo saiu da capa de algum disco de metal/prog/sei lá o que do final da década de 70 e começo dos 80. Esse visual, aliado à uma trilha sonora maravilhosa do já falecido compositor Jóhann Jóhannsson, criam um clima que faz todo o absurdo da história parecer aceitável.

Mandy parece muito um filme exploitation dos anos 80, mas feito de um jeito tão sincero que em vez de estar aproveitando o estilo para emular algo, de fato consegue SER um filme como aqueles.

É esquisito falar de Mandy porque o filme parece muito mais uma experiência do que outra coisa, variando de pessoa para pessoa.

Nicolas Cage: que homem

Uma coisa que é certo é que o Nicolas Cage, mais uma vez, mostra que é um baita ator que só precisa de um diretor e um roteiro legal pra deixar isso bem claro. Tem uma cena em Mandy em que ele tá no banheiro, ferido e ridículo, de camiseta e cueca. Do nada, ele mata uma garrafa de vodka inteira enquanto grita alucinadamente.

Mandy Nicolas cage
Oi :)

Normalmente, essa cena seria só mais um momento FULL CAGE, mas dentro do filme, ela funciona tão bem que deixa de ser engraçada. Dá pra dizer que chega a ser visceral e mostra o quanto o Cage se entrega ao papel. Sério, é uma cena ridícula que, por causa do cara, se transforma no ponto de virada do filme, que deixa de ser todo etéreo para virar uma orgia de violência absurda.

Mandy não é um filme pra todo mundo. Como eu já comentei, ele é bastante divisivo, com gente que o adorou e outros que o acharam a maior porcaria do mundo. E talvez esteja aí parte da magia do filme. Mandy não é um filme que você assiste e fica sem ter uma opinião forte sobre ele, ficando na sua mente, por bem ou por mal. No meu caso, eu terminei querendo uns quadros de cenas do negócio, de tão legal que achei. Vai que você termina do mesmo jeito, não é mesmo?

PS: Logo depois de ver o filme, esbarrei nessa mensagem e só posso dizer que estou impressionado.

Sem mais artigos