Jurassic-World-2

Review – Jurassic World: Reino Ameaçado

Jurassic Park é um baita filme. É realmente divertido, os efeitos especiais são impressionantes até hoje e, sem sombra de dúvida, um clássico do cinema. Só que ele tinha um problema lógico, que é qualquer continuação dele que tente dar continuidade ao projeto de um parque de diversões com dinossauros “de verdade” é uma péssima ideia, então sempre inventam alguma coisa para que o negócio não se perca no simples comentário “Essa é uma ideia merda, pode parar”.

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros tentou revitalizar a série depois de umas sequências cretinas, mas ainda pesava no esquema “Vamos reabrir o parque e inventar um dinossauro novo”. Só ideia bosta, mas como ele trazia boas homenagens ao original, passou na média.

Já sua sequência, Jurassic World: Reino Ameaçado é um amontoado de imbecilidades que em dado momento, eu comecei a acreditar que todo mundo ali abraçou a galhofa e resolveu só fazer bagunça mesmo.

Só tem gente tonta nesse negócio

Reino Ameaçado se passa um tempo depois do “primeiro” filme, mostrando um mundo em que todos reconhecem o perigo de recriar dinossauros. Só que a ilha onde eles estão (a do parque) está prestes a ser destruída pelo vulcão que fica no centro dela. Aí rola o dilema de salvar os animais, recriados pelo homem, ou deixar que a lava destrua tudo, quase como se num ato divino para eliminar novamente os dinossauros da face da Terra.

Veja bem, um filme que vai em cima desse tema poderia ser bastante interessante e seria diferente o suficiente dos outros para conseguir se elevar, quem sabe, até o nível do original. 5 minutos desse plot ser introduzido, o filme faz questão de mostrar que vai jogá-lo pra casa do chapéu preto e investir uma história ruim.

Envolvidos no meio de tudo isso estão os personagens da Bryce Dallas Howard, que dessa vez não corre de salto, e Chris Pratt.

Uma pergunta que eu faço a todas as 3 pessoas que acessam o Puro Pop: o primeiro Jurassic World rendeu mais de um bilhão de dólares nas bilheterias de todo o mundo. O filme claramente é um sucesso que muita gente viu. Sem pesquisar no Google, qual é o nome do personagem do Chris Pratt?

Pois é.

Chris Pratt que está em total modo piloto automático nesse filme, mas, porque esse maldito é extremamente carismático, ainda consegue ser uma das melhores coisas dele, já que basicamente ele é o único a conseguir fazer uma piadinha que de fato é engraçada em todo o longa.

O que se segue depois de uma hora de filme são cenas de ação que não empolgam, vilões caricatos, decisões idiotas, diálogos muitas vezes vergonhosos e um plot twist tão imbecil e sem sentido que quando eles dão a deixa, lá no começo do filme, você percebe o que eles querem fazer por ser tão óbvio, mas resolve não acreditar naquilo porque não pode ser verdade. Até que é.

Jurassic World: Reino Ameaçado é um filme que perigosamente começa a se tornar os filmes do Resident Evil, só que sem Milla Jovovich (AINDA) e trocando zumbis por dinossauros. Tá nesse nível.

Se você vai assistir, vai sabendo que ele é uma bagunça, aí talvez consiga se divertir. E sim, ele tem uma baita deixa para um terceiro filme, que eu certamente vou assistir porque sou o tipo de pessoa que fica vendo vídeo de FAIL no YouTube. Quando mais desastroso for, melhor.

PS: Eu torço muito pra que essa franquia acabe chegando em um filme parecido com esse aqui:





WELCOME TO THE RICE FIELD