Casamento é um negócio complicado. Acho, já que não cheguei nessa fase da vida, mas imagino que não deve ser a coisa mais simples do mundo. Muitas vezes, um casal passa anos juntos e não conseguem compreender o que a outra pessoa tem na cabeça.

Em Garota Exemplar, novo de David Fincher baseado no best seller da autora Gillian Flynn, é exatamente isso que vemos. O resultado acaba sendo um dos melhores filmes do ano.

A mentira da vida perfeita

Nick e Amy parecem ter o casamento perfeito. Eles parecem se amar, tem uma bela casa em uma pequena cidade do Missouri após terem se mudado de Nova York. No dia seu aniversário de cinco anos de casamento, Amy some.

Sinais de luta na sala do casal e outros indícios mostram que ela pode ter sido sequestrada. Uma busca pela esposa perfeita é iniciada, mas algumas informações conflitantes e um comportamento um pouco estranho logo colocam Nick sob suspeita, mesmo ele afirmando não ter se livrado da mulher.

Garota Exemplar 4

Parece um filme comum que você veria num SuperCine da vida, mas Garota Exemplar é contado de maneira tão eficiente que você acaba envolvido com o mistério. Nick Dunne, personagem do Ben Affleck fala com tanta convicção sobre sua inocência que você começa a acreditar no cara, muito por causa do trabalho do ator (sério), mas todo o resto mostra que ele deve estar mentindo e que é uma pessoa horrível.

Aos poucos, graças ao material original e pela maneira como o David Fincher conduz a história, você acaba vendo uma desconstrução daquela imagem que tínhamos sobre todos os envolvidos, mostrando que não existe uma vida ou casamento perfeitos. Na verdade, não existe um relacionamento que seja perfeito. A coisa toda é complicada e isso faz parte. Se algo parece perfeito, pode ter certeza que tem algo bem podre por trás.

Procura-se Amy

Se de um lado temos Ben Affleck mostrando que os anos de experiência e os filmes ruins de sua carreira servindo para alguma coisa (tipo, mostrar o que não fazer), o filme não teria tanta força caso a atriz que interpretasse a Amy não fosse boa. E a Rosamund Pyke faz miséria no papel.

Desde o início do filme, vemos a Amy como a mulher perfeita. Quando vemos como o casal se conheceu e seu relacionamento antes do casamento, é possível ver porque o cara se apaixonou por ela, o quão sensacional essa mulher é e tudo mais. E também vemos, através de entradas em um diário, como a sua vida parece ter entrado em uma espiral de tristeza a partir do momento em que teve que deixar Nova York para trás e se mudou para o Missouri.

Garota Exemplar 7

Você realmente começa a se preocupar com o que realmente aconteceu com Amy, mas aí o filme começa a mostrar que talvez ela não seja a pessoa perfeita que todos admiram. E é nesse momento que Garota Exemplar deixa de ser um simples filme de SuperCine para se transformar em algo melhor.

Conforme fatos vão sendo apresentados, a forma como o David Fincher montou o filme faz você deixar de acreditar em todo mundo, já que suas versões da verdade podem estar omitindo detalhes importantes. Basicamente, ninguém pode ser confiado.

Uma bela adaptação

Outro mérito do filme é o seu ritmo. Garota Exemplar tem duas horas e meia de duração, algo que poderia indicar um chá de cadeira no cinema. Só que, tirando os primeiros 15 ou 20 minutos, que são mais parados para apresentar a trama principal, o filme pega um embalo forte até o seu final, fazendo com que você nem sinta o tempo passar.

O filme consegue apresentar bem os fatos apresentados no livro que o originou, mudando bem de leve o seu final. Nada que altere muito, mas algumas coisas acontecem de maneira diferente.

Além do casal principal, Garota Exemplar conta com um elenco de apoio excelente, com nomes como Neil Patrick Harris, Carrie Coon e Tyler Perry merecendo destaque pelos seus papéis como um ex-namorado stalker da Amy, a irmã do Nick e um advogado especializado nesse tipo de caso.

Garota Exemplar 5

O filme, apesar do tema pesado, consegue tirar algumas risadas em vários momentos. A produção parece ser a mais “comum” do David Fincher nos últimos anos, mostrando o quão sensacional ele é como diretor se notarmos que um filme dessa qualidade pode ser considerado “comum” na sua filmografia.

Ao final das duas horas e meia de filme, é possível dizer com tranquilidade que Garota Exemplar é um dos melhores filmes lançados do ano. Vai ganhar trocentos prêmios? Não sei (talvez de atuação leve uns dois), mas se tivéssemos mais filmes desse naipe estreando durante todo o ano, acho que dava pra ser mais feliz com Hollywood.

 

Sem mais artigos