Provavelmente há mais de 10 anos, existia a possibilidade de um filme do Deadpool. O sucesso dos X-Men ajudava bastante nisso e o fato de existir um ator para o papel, indicado pelo próprio gibi, meio que deixava tudo engatilhado.

O tempo passou, uma “adaptação” do personagem foi feita naquele filme horrível do Wolverine e parecia que tudo tinha morrido. Só que os fãs e o ator continuaram tentando fazer um filme DE VERDADE do Deadpool.

O vazamento de um vídeo de teste e a aceitação do público fez com a Fox acordasse pra vida e desse uma chance ao Merc with a Mouth. Agora, com o filme prestes a estrear, vem a pergunta: Valeu a pena? A resposta: PRA CACETE!

A cretinice em forma de super-herói

Deadpool mostra desde os seus créditos iniciais o tipo de humor que você encontrará no filme. Em momento algum, o filme engana o espectador sobre o tipo de ação, diálogo ou ações que encontrará na adaptação.

Isso poderia ser considerado um defeito por uns, mas o filme parece ter sido feito de um jeito tão sincero, com um jeito que passa a impressão de que todos os envolvidos pensaram “Não sabemos se vamos poder fazer isso de novo, então, vamos nos divertir”.

Olá, gatas
Olá, gatas

Se você viu os trailers do filme, sabe mais ou menos qual é a história (“Mercenário toca a vida, conhece uma moça, tudo é lindo, ele descobre ter câncer terminal, entra em um experimento para se curar, algo dá MUITO errado, ele vira o Deadpool”), algo que também deveria ser um defeito, mas as cenas são feitas com aquela fanfarronice que aquece o coração. Fora que algumas das melhores piadas do filme ficaram de fora de qualquer TV Spot ou trailer liberado pela Fox na (excelente) campanha de marketing do filme.

Um cara ruim derrubando caras piores

Uma coisa que foi bem feita no filme do Deadpool é mostrar que ele é mais que uma metralhadora de piadinhas e perpetuador de violência caótica por onde passa. A origem do personagem, o mostrando como um ex-soldado das Forças Especiais, que se transforma em mercenário até o sujeito na roupa vermelha e praticamente imortal, é contada de maneira não linear, algo que ajuda bastante no ritmo do filme.

E o Deadpool provavelmente é o personagem que melhor mostra o lance de ser um herói sem ser realmente um herói. Em momento algum, você o vê como um vilão, porque ele nunca mata pessoas inocentes, mas também não dá pra falar que ele é um herói, afinal de contas, ele tá matando pessoas.

deadpool wade

Só que o Deadpool é tão divertido que você só vai no embalo dele, dando risada no processo. Uma parte disso é do roteiro, mas temos que tirar o chapéu para o Ryan Reynolds por não ter desistido do personagem em momento algum, se entregando completamente às imbecilidades que o “4Chan em forma de super-herói” consegue proporcionar.

Violência, um pouco de nudez e a quebra da 4ª parede

Quando o filme do Deadpool foi anunciado, muita gente ficou cabreira com a possibilidade da Fox produzir o filme “nas coxas”, tirando toda a graça que o personagem poderia proporcionar. O estúdio fez questão de mostrar que não estava se segurando e confirmou que o filme traria violência, palavrões e tudo o aquilo que os fãs queriam.

Ao final de Deadpool, é possível dizer que a Fox pode ter, pelo menos tentado, se redimir dos seus erros do passado, já que o filme não poupa tudo aquilo que os fãs imaginavam em um filme do Deadpool: tem piadinha de pinto, tem violência PRA CACETE, tem palavrão, tem cretinice, tem o personagem quebrando a 4ª parada e falando com o público, tem zoeira com personagens da Fox, com a própria Fox.

deadpool filme

Em certo momento, é impressionante como parece que o estúdio pensou “Ah, fod*-se!” e deixou os caras fazerem o que bem entendiam só pra ver se vai render alguma coisa. Porque, mesmo utilizando vários clichês do gênero “super-herói nos cinemas”, Deadpool parece um experimento para ver o que o público aceitaria em um filme de gibi hoje em dia. Tem coisas que funcionam MUITO bem, já outras nem tanto.

Quase tudo é alegria. QUASE tudo.

Deadpool é REALMENTE divertido, mas ele tem um problema que eu demorei uns dias pra realmente entender qual era. Você talvez vá ao cinema, assista sem medo de ser feliz, dê risada, se empolgue e queira ver novamente. Tudo bem, mas ele é um filme que talvez não envelheça tão bem quanto outros filmes baseados em quadrinhos. Sabe como os primeiros X-Men são importantes e bons, mas algo neles não é tão legal hoje em dia? Então.

Deadpool me parece o filme certo, na hora certa. Ele chega em um momento em que filmes de gibi precisam ser mais que simples “filmes de gibi”. Deadpool funciona como uma comédia e, de certa forma, como paródia de filmes do gênero. Ele não se leva a sério em momento algum, o que faz as suas piadas funcionarem muito bem hoje em dia, assim como ele se mostra reflexo de muito do que é feito em filmes da Marvel e DC.

Eu não faço ideia se veremos outros filmes com o Deadpool. Eu realmente espero que sim, já que parece o papel da vida do Ryan Reynolds e ele tá realmente legal como Wade Wilson, mas PERFEITO como Deadpool. É interessante notar que quando ele aparece como Wade, sem a máscara, o personagem funciona bem, mas quando a máscara entra em cena, a entonação do Ryan Reynolds e o Deadpool parece pular da página do gibi.

Tá faltando um gigante cromado nessa imagem
Tá faltando um gigante cromado nessa imagem

É como se você estivesse vendo um desenho ganhar vida. E dar um monte de tiros na cara de uma galera, enquanto canta uma música idiota ou faz uma piadinha cretina. É lindo!

Só que esse primeiro filme do Deadpool ainda parece apostar no seguro. Por mais que tenha muita gente que torce o nariz para o personagem criado pelo Rob Liefeld, o Deadpool tem um potencial absurdo pro cinema. É só apostar nele e deixar a galera “voar”. Esse primeiro filme parece estar em um voo controlado, talvez testando suas asas ou porque é o limite imposto pela Fox. Não sei direito, mas isso me incomodou um pouco. Tem tanta história absurda e maneira pra ser contada com o mercenário e o filme aposta em algo mais comum. BOM, porém comum.

Mesmo assim, no final das contas, Deadpool é o filme que os fãs vem pedindo há anos. É engraçado, violento e relativamente fiel às origens do personagem. Eu choraria sangue se estivéssemos em um mundo em que Fox e Disney fizessem um acordo e todos os personagens vivessem em um só universo. Só pra ver uma figura como o Merc with a Mouth podendo interagir com pessoas além dos X-Men.

Enquanto aguardo pela próxima sessão do filme, deixo vocês com uma melodia que tocaria o coração do sr Pool:

PS: Sim, as participações especiais dos X-Men já foram entregues nos trailers, o Colossus do filme é ABSURDAMENTE mais legal que o dos filmes dos mutantes, assim como a Negasonic Teenage Warhead. É mutantes diferentes e legais assim que nós queremos, Fox. JÁ DEU DE MOSTRAR JEAN GREY, MAGNETO E WOLVERINE! JÁ DEU!

PS2: Sim, tem cena depois dos créditos.

 

Leia Mais
Estúdios estão brigando pelos direitos de um filme live action de Pokémon