Puro Chorume: Cradle of Fear

Continuando com as colunas novas/ressuscitadas do Puro Pop, apresentamos Puro Chorume, a prova de que não temos muita criatividade para nomes. Nela, mostraremos filmes, séries, HQs, jogos, música, o que for, e que tenham qualidade consideravelmente porca. Nós assistimos, lemos, ouvimos e jogamos pra você não precisar. Ou faça isso, vai que você gosta desse tipo de coisa. Para começar bem, Cradle of Fear, um filme criado em torno do Cradle of Filth. POIS É!

Chamado de Cradle of Fear pra pegar os fãs da banda Cradle of Filth no embalo, o “filme”, que chegou ao Brasil com o título Nascido do Inferno, é uma coleção de pequenas histórias ridículas que não fazem muito sentido até um fio que tenta costurá-las com a precisão de alguém com mal de Parkinson.

Logo no começo, vemos Dani Filth, vocalista do Cradle of Filth, tomando um cacete de dois malucos, só pra abrir a garganta de um com seus aneis e bizarrices que tem na mão e ABRIR A CABEÇA DO OUTRO COMO SE ELA FOSSE UM MAMÃO e pisotear nela. Por que? Porque ele é mau!

Histórias que não fazem sentido

Cradle of Fear conta com uma linha cretina que conecta todas as pequenas histórias que são mostradas. A ideia é a de que um pedófilo canibal que barbarizou a Inglaterra dez anos antes dos acontecimentos do filme, está por trás de assassinatos em Londres. Tudo de dentro da cadeia. A sua ligação seria com um estranho cidadão que usa mais maquiagem que todos o resto do elenco, Dani Filth.

Oi, gatas
Oi, gata

Ele começa arrumando uma gostosinha num show cheio de trevosas que curtem Cradle of Filth (a trilha do filme é cheia de músicas da banda). Quando vai sapecar a moça, ele meio que se transforma num monstro. No dia seguinte, ela começa a sentir sua barriga mexer. Já dá pra ter uma noção.

O filme conta com histórias hilárias pelos motivos errados, como um perneta viciado em cocaína que não consegue fazer sexo com a mulher porque não tem parte da perna (com direito a uma cena muito sensual dela beijando o cotoco) e uma dupla de moças imbecis que tentam roubar a casa de um velho surdo.

Nenhuma das histórias é realmente boa ou sequer conseguem assustar como tentam. É tudo um emaranhado de cenas ridículas e atuadas com o mesmo talento visto naqueles informerciais ou no glorioso SUPER PAPO.

Muito sangue (falso), muita nudez (parcial) e drogas

No final das duas horas (sim, tem DUAS HORAS) de Cradle of Fear, é possível dizer que o diretor Alex Chandon (responsável por alguns clipes da banda Cradle of Filth, incluindo From the Cradle To Enslave) pensou “É um filme de terror. Já sei! Vou encher de peito, sangue e cocaína nessa porra!”.

Em praticamente todas as histórias, rola uma cena de alguém cheirando pó, dois ou mais peitos e litros de groselha sendo jogada nas pessoas. Basicamente, quando alguém perguntar “O que é Cradle of Fear?”, você pode responder com “PEITO, PÓ E GROSELHA”.

Grande perneta
Grande perneta

Tudo é gravado em maneira que fica claro que o orçamento do filme era troco de pinga. O elenco é primoroso se você considerar essa palavra para uma galera que não sabe se portar na frente de uma câmera. Pra deixar mais atraente para os fãs de Cradle of Filth, além do DANIELZINHO IMUNDO, os outros integrantes da banda (da época da formação do disco Midian) fazem participações em papeis pequenos.

VEREDITO

Se precisássemos classificar Cradle of Fear em uma escala de 0 para um filme péssimo e 10 para um filme péssimo que deveria ser assistido com amigos, tomando alguma coisa e comendo algo gorduroso, ele receberia um 6.5. Isso porque a história do perneta e o gore são realmente engraçados.

Para não perder o embalo, um clipe do Cradle of Filth com cenas dessa produção incrível:

Leia Mais
ASSISTA AGORA AO PRIMEIRO TRAILER DE CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL