Jay and Silent Bob Reboot: que filme horroroso (e que eu gostei)

Jay and Silent Bob Reboot é um filme ruim. Não existe outro jeito de falar sobre esse negócio sem chegar com os dois pés no peito e ser sincero sobre a qualidade tenebrosa dele. Só que existe algo nele que não só me fez assistir tudo até o final, como também me fez dar umas risadas e quase me fez derramar uma lágrima. Só uma.

Eu gosto do Kevin Smith. Acho que o cara tem talento pra contar história, principalmente nos shows que fez e que são fáceis de encontrar no YouTube. Há anos, ele não lança algo que presta e essa é a realidade, mas tem algo nele que faz com que os fãs sempre acreditem que o próximo filme será uma volta aos tempos de glória (nunca é).

Jay and Silent Bob Reboot

Jay and Silent Bob Reboot é basicamente Jay and Silent Bob Strikes Back com eles mais velhos. Eles mesmo zoam isso durante o filme e não tem muito como fugir disso. Só que o Kevin Smith claramente parou nos anos 90. Não pelo fato de ele ainda se apoiar em piadinhas de maconha, pinto e peido, mas porque são AS MESMAS PIADAS dos filmes que ele fez antes.

Em vários momentos, personagens que participaram de outros filmes do Smith aparecem e mandam algo que já foi dito anteriormente. Foi legal ver o que alguns dos personagens estão fazendo anos depois, como o Brodie e o Holden McNeil, mas a maioria só tá ali pra constar e fazer alguma piadinha sem graça, por ser velha e repetida.

Kevin Smith deve mesmo ser um cara muito legal

Uma coisa que fica clara em Jay and Silent Bob Reboot é que o Kevin Smith tem que ser uma pessoa muito maneira, porque a quantidade de atores legais (e com carreiras ainda no topo) que aparecem no filme é impressionante.

O núcleo ainda é o Kevin Smith e o Jason Mewes (que tá MUITO esquisito porque supostamente perdeu os dentes por causa do uso de drogas e agora usa dentadura) e agora traz Harley Quinn Smith, a filha do Kevin Smith. Rola toda uma trama envolvendo ela ser a filha perdida do Jay e uma nova ida para Hollywood para interromper a produção de um filme baseado em Bluntman and Chronic.

MV5BOGJiMGMyMWEtMzJhMy00MDA3LThjMjAtMGE2NjU2ODIwYjJlXkEyXkFqcGdeQXVyOTc5MDI5NjE@._V1_

Nesse meio do caminho, vários atores aparecem, sendo que as participações do Matt Damon e do Ben Affleck são o ponto alto. E é aí que rola o motivo por eu não ter achado o filme uma completa falta de tempo.

Como disse, Jay and Silent Bob Reboot é um filme ruim. Só que, assim como praticamente quase toda a filmografia do Kevin Smith, rola um esforço sincero e o que falta em noção pra escrever algo decente hoje em dia, ele compensa em coração.

MV5BNTIxZGYzZTEtOTczNC00YzQwLWI1ZmEtMmM1MjI4OWZiOGZlXkEyXkFqcGdeQXVyODEwMTc2ODQ@._V1_

Jay and Silent Bob Reboot ainda consegue ter valor

Parece imbecil, principalmente se falando de um cara que infartou durante um stand up e, felizmente, adotou um estilo de vida mais saudável depois disso, mas o Kevin Smith parece não entender que os momentos em que ele não foca na piada de pinto, maconha e peido, as coisas funcionam.

Praticamente todas as piadas do filme que funcionam, só conseguem fazer isso por não envolverem isso. É piada zoando o próprio Smith ou algo do mundo que, quando ditas por gente que tem talento, fazem rir (a cena do Matt Damon é COMPLETAMENTE dispensável, mas ela existe ali e é legal o suficiente pra fazer valer os 2 minutos de tela).

E é na cena em que o Jay finalmente para de falar de maconha e pinto, e na do Holden McNeil revelando o que aconteceu com todos mundo de Procura-se Amy que Jay and Silent Bob Reboot faz valer sua existência.

MV5BZmQ1OTQyNjktMTRkYi00NTJjLWI3ODYtZjc1ZGI5MTg4NTBmXkEyXkFqcGdeQXVyOTc5MDI5NjE@._V1_

Se o Kevin Smith tentar novamente escrever um filme que não fique só na piadinha cretina, talvez as coisas voltem a funcionar. Por enquanto, esse é só mais um filme ruim do Kevin Smith (e que eu assisti até o fim e quase derramei aquela lágrima com uma homenagem nos créditos).

 

 

Leia Mais
the handmaid's tale
The Handmaid’s Tale e a pavorosa República de Gilead