Adão Negro (Review)

Adão Negro é um filme ruim. Eu poderia começar esse review do novo filme da DC, estrelado pelo The Rock, de inúmeras formas, mas prefiro ser direto e dar o tom do que exatamente tenho para falar sobre ele. Ele é TODO ruim? Não, mas ele é TODO equivocado. Dito isso, agora vou explicar o porquê.

A ideia do The Rock interpretar o Adão Negro começou lá em 2007, quando ele ainda seria o antagonista do filme do Shazam, o que faria todo sentido do mundo. Com o passar do tempo, o ator foi ficando cada vez mais forte em Hollywood (e na vida, o homem é um touro), o que acabou levando a Warner a separar os filmes e Adão Negro ganharia um filme como “anti-heróI”. Dito isso, Adão Negro existe só por uma ego trip pesada do The Rock e nada me tira isso da cabeça depois de ter assistido aos seus 124 minutos.

Ele começa a ser equivocado desde o início, na apresentação do personagem e do mundo em que ele vive. Fazendo parte do mesmo universo da Liga da Justiça nos cinemas, não faz muito sentido as coisas funcionarem no filme.

A todo momento, a impressão que dá é que eles querem empurrar que o Adão Negro é muito mais poderoso e melhor que os outros heróis já apresentados pela DC no cinema. Superman, Mulher-Maravilha, Batman, Aquaman e Flash aparecem como símbolos de HQs, apenas produtos que um moleque (totalmente irritante) coleciona, enquanto o Homem de Preto seria o “fodão supremo”.

Só que talvez pelo roteiro ou pela atuação completamente engessada do The Rock, esse Adão Negro é só um tijolo que voa, dá socos bem fortes e solta uns raios. Isso talvez seja a maior falha do filme (mas certamente não a única), pois todo o carisma que o The Rock tem e é inegável não aparece no filme. Dava pra colocar qualquer caboco forte ali que dava na mesma. Possivelmente na ânsia de parecer sério e fodão, todo o charme e carisma do cara foram soterrados e ele fica sendo só um personagem sem graça. Ele não é inteligente, ele não é imponente. Ele só bate forte mesmo.

Uma Sociedade da Justiça que merecia mais

Um lado que quase me deixou um pouco mais empolgado foi a introdução da Sociedade da Justiça no DCEU, mas a maneira como ela chega e é usada é um tanto tosca. Quatro integrantes são mostrados (Gavião Negro, Senhor Destino, Cíclone e Esmaga-Átomos), mas tudo é meio jogado. A Cíclone e o Esmaga-Átomos são muito mal desenvolvidos e com alguns ajustes, seria possível fazer o filme sem eles e nada se perderia, além do fato que não daria pra chamar de time uma equipe só com dois integrantes.

Sociedade da Justiça Adão Negro

Só que mesmo com uma introdução mal desenvolvida, é possível ver o valor nos personagens e pensar que talvez uma história focada neles seria mais interessante que a ego trip do The Rock. O visual deles é legal, as cenas de luta, apesar de não serem revolucionárias ou particularmente DOIDAS, servem bem ao seu propósito, mas algumas escolhas na história não descem muito bem, principalmente se levarmos em consideração que estamos falando de heróis e não apenas mercenários.

Falando em mercenários…

Que historinha mequetrefe

Adão Negro tem uma trama bem jaguara que pode ser resumida em “Cara ganhou poderes na antiguidade, reaparece em tempos modernos quando um objeto mágico pode colocar em risco a humanidade. Ele aparece como ameaça, Sociedade da Justiça aparece para pará-lo, mas o buraco é mais embaixo”.

Adão Negro Gavião Negro

O filme tá aí, só que levanta vários questionamentos que ele mesmo tenta responder, mas o faz de maneira porca. Por que a Liga da Justiça não aparece por ali? O motivo dado poderia fazer sentido se não existisse Peacemaker e a Liga aparecendo ali DEPOIS de uma treta ser resolvida.

Por que os mercenários tão crueis que todo mundo tem medo não dão um tiro em alguém que rouba um rádio da mão deles, só correndo atrás segurando um rifle como um total imbecil? Ao tentar fazer com que o Adão Negro e toda essa realidade seja tão diferente de tudo que já foi mostrado, ele acaba ficando deslocado dentro do próprio universo que quer co-existir e eu não acredito que tô pendendo mais para o lado da defesa dos filmes do Snyder. Olha o que esse filme tá fazendo comigo.

O elefante na sala

Eu não vou dar mais spoilers do que o próprio The Rock e a Warner já deram sobre uma participação especial no filme. Em alguma realidade, ela faz bastante sentido e talvez a aparição de um ator seja muito mais importante que a loucura do The Rock em parecer mais fodão que todo mundo.

A maneira como isso é feito é falha, por motivos que aí sim demandam dar mais spoilers. E em vez de ficar realmente empolgado, a única coisa que pensei foi “Tá, mas como fica o Shazam nessa brincadeira toda?”. (Assistam o filme do Shazam, muito melhor que isso aqui).

No fim, alguém precisa parar o The Rock. Eu não duvido que Adão Negro fature uma grana considerável pois o homem tem muitos fãs e que muita gente que curte tudo o que a DC lance curta o filme. Isso aqui é basicamente a minha opinião e não duvido que uma galera considere incrível. A real é que a forma como a Warner vem posicionando o filme, como se fosse uma grande mudança nos filmes da DC não me parece tão boa assim ou sequer uma mudança significativa.

Por incrível que pareça, essa mudança deve vir mesmo com o filme do Flash, isso se Ezra Miller não aparecer com mais uma acusação de crimes nas costas para lidar. Quando quer, a DC acerta a mão. Tem vários exemplos para mostrar isso. Não acredito que dessa vez rolou.

Por enquanto, quando o nome Adão Negro for dito, na minha cabeça, o que virá é a banda de reggae mesmo: