Calma, cara (Divulgação/Warner)

Martha é mais que um nome, mas Batman vs Superman se esquece disso

Batman vs Superman é um filme ruim. MUITO ruim. Quase intragável. É realmente difícil enumerar todos os seus problemas. Roteiro ruim, diálogos terríveis e edição bagunçada são apenas alguns dos vários tropeços que o longa coleciona. O resultado é essa bomba que a DC tem em mãos.

Isso não quer dizer que ele não tem seus acertos. São poucos, é verdade, mas eles estão lá. O Batman tá bacana, a Mulher-Maravilha tem um potencial enorme e as cenas de ação são realmente bem feitas. Porém, talvez o maior acerto do filme seja algo perdido em meio a toda essa bagunça.

Assim como a batalha em si, a conclusão do embate entre Batman e Superman deveria ser algo memorável. O momento em que eles põem suas diferenças de lado para lutar por um bem comum é, de verdade, o embrião daquilo que virá a se tornar a Liga da Justiça. E, no caso, a solução encontrada foi um nome: Martha. Tanto Bruce Wayne quanto Clark Kent compartilham de figuras maternas que possuem o mesmo nome e é essa a razão que faz com que os então inimigos se tornem aliados.

E é claro que o Snyder não consegue fazer com que essa cena passe o que ela precisava passar para o público. Enquanto ele perde um tempo desnecessário reforçando que o Homem de Aço é uma alusão a Jesus Cristo, ele não dedica mais do que alguns segundos ao momento em que os dois heróis se dão conta de que, no fim das contas, eles são iguais. Não por acaso, o que deveria ser o ponto alto da coisa toda virou piada.

batman vs superman

O Batman não para de bater no Superman porque suas mães têm os mesmos nomes. Na verdade, o que segura o Cavaleiro das Trevas naquele momento é ele perceber que aquele ser aos seus pés é um ser humano. Vindo de outro planeta e com poderes para destruir o nosso planeta, mas ainda um “ser humano”. É quando ele diz um nome que lhe é tão familiar — Martha — que Bruce Wayne percebe o quanto ele tem em comum com aquele ser que ele não entende e, portanto, teme.

É o que chamamos de empatia, de se projetar no outro e reconhecê-lo como um igual. No momento em que o Superman moribundo chama pela sua mãe, o Batman percebe que aquele deus que as pessoas adoravam ou o monstro que ele temia nada mais é do que uma pessoa comum. É o estalo que o faz olhar para o seu inimigo como um humano e não como algo diferente do seu mundo.

Dentro do contexto no qual o Homem-Morcego estava envolvido, isso ganha um peso muito maior. Ignorando todos os demais problemas de caracterização de BvS, a gente sabe que aquele Batman ali não é o herói que a gente conhece de outras mídias ou dos filmes anteriores, mas alguém amargurado e bastante radical. Com o perdão do desgaste do termo, um fascista. O próprio Alfred passa o longa inteiro condenando o novo comportamento de seu patrão. Ele é alguém cego pela sua própria visão distorcida do que é correto.

Dawn_Of_Justice_Batman_Superman_Lands

Assim, quando o Superman se revela um merda como qualquer humano, é como se ele percebesse que esse outro que ele tanto teme e odeia é alguém igual a ele. E isso deveria impactar, pois é uma espécie de redenção do personagem. Depois de passar metade do filme atirando e batendo nos outros igual um cachorro louco, ele parou para pensar e rever o quanto estava errado. Deveria ser um dos grandes momentos do filme. Se o universo cinematográfico da DC quer ser mais sério que o da Marvel, essa cena em questão deveria ser mais valorizada para mostrar tanto que seus deuses são tão humanos quanto os mortais e, principalmente, que seus heróis também são igualmente falhos. Era a chance de desenvolver seus personagens, algo que o longa não faz em nenhum outro momento.

Só que nada disso acontece porque o filme não sabe explorar esse elemento e perde a chance de fazer algo grande. O diretor joga toda a carga dramática no lixo para mostrar o Batman rosnando mais uma vez e logo entra aparece um monstro gigante cuspindo laser pra acabar com tudo, fazendo o público esquecer o que acabou de ver.

Isso não é o suficiente para salvar o filme. Longe disso, já que essa leitura apenas mostra como o filme se perde nele mesmo e não consegue dar a profundidade necessária para desenvolver seus personagens e criar bases para um universo compartilhado. Bastaria um pouco mais de cuidado, uma direção um pouco mais pensada e talvez tivéssemos um resultado bem diferente do que foi mostrado.

Mas é muito mais elegante destruir tudo em câmera lenta, aparentemente.

  1. Perfeito, pensei o mesmo. Na hora inclusive cheguei a rir, pq ficou tão brega, tão caricato. Esses pontos que decepcionaram pesam mais que os pontos legais do filme.

  2. Bom texto, tem umas colocações bacanas. O que me incomoda nessa parte específica é: quem diabos diz o nome da mãe desse jeito e não só “mãe”?

  3. Jamais vou entender quem chama a mãe pelo nome, embora já tenha conhecido pessoas com esse estranha hábito

  4. Batman v Superman é um bom filme com ressalvas mais um dos motivos principais dele ser um filme fraco é o fator Martha que é um simples capricho do diretor que percebeu em suas pesquisas o que leitores de HQ’s a mais de 30 anos não viram idem Érico Borgo, o fato que o nome das duas mães são iguais nossa que descoberta incrível estava debaixo de nossos narizes esse tempo todo vou jogar isso na cara dos espectadores no cinema e eles vão me endeusar. Ta explicado um dos motivos para fanáticos terem gostado do filme e aceitarem essa cena preguiçosa de sessar fogo “Fator Martha?”.

    O “Fator Martha” pra mim é um Grande ponto fraco do filme porque ele emburrece o Batman?, diminui o herói Superman?, e faz o vilão Lex Luthor sabotar seu próprio plano?.

    Batman / Martha – Graças a ela o Morcego não investiga desde o inicio do filme quem é o verdadeiro Superman, o Alienígena que tinha uma mãe e um pai terrestres, “pai já falecido” que o criaram desde de a infância, e ai veria a tal da “humanidade” a Lois descobre isso tudo em menos de vinte minutos em MOS, como o maior detetive do mundo não o faz ele teve quase dois anos pra investigar o super e não o fez, mais ficou consumindo ódio sem sentido, seus traumas não são suficientes assim para emburrece-lo da investigação. Antes de querer tirar a vida de um herói vai tirar a vida de quem matou o Jason Todd primeiro, sobre a destruição da cidade o Batman não pois na balança os pros e contras de tudo aquilo milhares morreram naquele dia mais bilhões foram salvos no planeta pelo Superman o fator Martha o cega da verdade o emburrece até o ápice confronto muita incoerência do roteiro.

    Superman / Martha – O Superman é tão humilhado nesse filme ele só sabe voar usar super força e salvar a chata da Lois mais a mãe dele ele não consegue, nunca que ele precisaria da ajuda do Batman pra salvar sua mãe ele a salvaria com muito mais eficiência e rapidez do que o método utilizado pelo Morcego, é só lembrar do exemplo do Superman o retorno ele contemplando o planeta da atmosfera usando seus super sentidos para localizar perigos emergenciais, nesse caso sua mãe era o foco era só ele se lembrar da primeira cena de flash back do filme MOS que ele saberia o que fazer e descobriria o paradeiro de sua mãe, mais no filme ele cai na chantagem do vilão, e acaba não tendo mais uma grande cena heroica para engrandecer seu currículo vinde Capitólio tbm, porque ele é um herói inexperiente ainda não foi grande em vida será depois da morte? ai fica fácil.

    Lex Luthor / Martha – Luthor já avia dado um incentivo ao Batman “Kryptonita” para o mesmo fazer o serviço sujo para ele que é matar o alienígena, já o Superman a motivação não estava forte o suficiente então vamos apelar, (se você não me trazer a cabeça do morcego sua querida Martha morre você tem uma hora tic tac o tempo ta passando) o tonto cai na chantagem, na cabeça do Lex ele esta mandando o Superman pra morte porque o Batman tem a arma secreta que ele forneceu. Então pra que o “Apocalypse”? Batman vence a luta como o Lex previa Batman prestes a fincar a lança mais ai vem a palavra cabalística que une os dois heróis contra o vilão, o Luthor acabou sabotando seu principal e próprio plano que é o V.S que desde de o inicio do filme ele o tramava envolvendo a Martha na historia que acaba estragando tudo, parabéns vilão de merd@ ai vem o plano B e as incoerências todas com o surgimento do Apocalypse.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais
Tem na Netflix #22 — Hulk, Will Smith e MacGruber!